Mr. Zuckeberg, com pesar entrei no Facebook

 

 

Prezado Mr. Mark Zuckeberg, gostaria de dividir com o senhor o fato de que ingressei no Facebook há exata uma semana da data em que escrevo estas linhas.

Entrei com pesar, gostaria que soubesse.

Dentro de uma política pessoal de ficar cada vez menos à frente dos meios virtuais, em detrimento dos reais, sucumbi ante a duas demandas.

A primeira foram as manifestações recentes, pautadas por meio de sua página, e para as quais fui surpreendido. A segunda é por interesses de pesquisa de meios virtuais.

                                                           ***

Esta postagem tem a função de poupar o precioso tempo do senhor.

(Nem precisa ser tão letrado no mundo virtual para saber que é muito ocupado, tamanha a dimensão do império digital que criou.)

Como sabemos que sua empresa cede informações ao governo norte-americano, antecipo ao senhor, de público, o pouco que pode ser relevante sobre mim.

Sou jornalista de formação. Já circulei por redações de jornal, de TVs e de sites. No momento, atuo na área por puro prazer, por meio deste blog. Não ganho nada por isso.

                                                            ***

O ganha pão vem da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), onde atuo como docente do curso de Letras. Também mantenho lá um cargo administrativo.

Também tenho produzido livros e artigos sobre histórias em quadrinhos e mídia, áreas em que tenho me especializado. Há também os congressos e palestras.

Somadas, essas funções têm tirado o pouco tempo livre. Os leitores deste blog sabem bem disso, tamanho o espaçamento entre uma postagem e outra.

Poderia incluir ainda algumas descrições físicas. Mas, creio, elas já devem ter circulado por meio do Facebook e o senhor já tem acesso a elas.

                                                            ***

Confesso que a primeira impressão sobre seu império virtual tem me causado um pouco de medo. Há por lá interações que se equivalem ao valor social do e-mail.

E, como tais dados podem ser transmitidos de bom grado ao governo norte-americano, tanta autoexposição me preocupa.

Sei que o senhor tem dito à imprensa que apenas 0,00002% dos dados foram transmitidos à gestão de Barack Obama, algo em torno de 18 a 19 mil contas.

Mas o fato de ter apresentado apenas uma delas já é motivo de alerta.

                                                           ***

Nesta primeira semana de Facebook, a página do Blog dos Quadrinhos somou 428 curtidas. Na página pessoal, chego perto de 500 amigos virtuais.

Sou novo no meio e não sei dimensionar se esses números são bons ou ruins. De todo modo, já pude perceber que caí numa armadilha.

Se minha intenção era ficar menos à frente do computador e do smartphone, o tiro saiu pela culatra. Precisarei me policiar ainda mais daqui por diante.

Encerrando, queria registrar o receio de ter dividido meus dados pessoais com seu império virtual. Mas espero que as informações sejam de valia para ajudar o governo Obama.

                                                           ***

Em tempo: sei que o senhor já sabe, mas pode me acessar no Facebook por meio deste endereço: https://www.facebook.com/pages/Blog-dos-Quadrinhos/288104644661701

Se quiser curtir, será bem-vindo.