30.07.08

Humor gráfico vai pautar Dia Mundial do Orgasmo

 

 

A tira acima, feita por Paulo Stocker, é um dos trabalhos que serão mostrados nesta quinta-feira pelo UOL para marcar o Dia Mundial do Orgasmo.

A proposta do UOL é reunir produções sobre o tema feitas por diferentes desenhistas hospedados no portal. E dar uma abordagem leve e engraçada a respeito da data.

Os cartuns devem ser divulgados na página principal.

E estão programadas também sessões interativas sobre o tema. 

Escrito por PAULO RAMOS às 12h57
[comente] [ link ]

29.07.08

Filme nacional serve de inspiração para história em quadrinhos

O longa-metragem "Condomínio Jaqueline", filmado em São Paulo, vai pautar uma história em quadrinhos produzida pelo paranaense Papito.

A informação foi noticiada na edição desta terça-feira do jornal "O Estado de S. Paulo".

Segundo a matéria, assinada por Flávia Guerra, as filmagens terminaram na semana passada.

As duas produções estão programadas para o ano que vem.  

                                                            ***

Papito freqüentou o set de filmagens. Em um caderno, fez rascunhos e anotações para sua história, programada para ser lançada pela editora Conrad.

O desenhista é mais conhecido na área de quadrinhos pela revista independente "Tipos".

A quinta edição -que trazia a história "Tequila Shots"- foi lançada neste ano.

Papito foi vinculado ao 4º Mundo, selo que reúne autores independentes de todo o país.

                                                             ***

"Condomínio Jaqueline" é dirigido por Roberto Moreira.

Mostra a trajetória de uma jovem atriz que se muda para São Paulo em busca de novas oportunidades.

Sozinha na grande metrópole, passa a fazer amizades com as pessoas que moram e trabalham no edifício fictício.

O filme pode gerar ainda uma série de TV, que daria continuidade ao longa do ponto onde parou.

Escrito por PAULO RAMOS às 10h24
[comente] [ link ]

25.07.08

Governo do Rio diz que charge de Latuff é de "muito mau gosto"

 

 

A charge acima, feita pelo carioca Carlos Latuff, foi considera pelo governo do Rio de Janeiro como de "muito mau gosto".

O desenho foi usado em outdoors para chamar a população a participa de um ato público pela vida, realizado no Rio na última quarta-feira.

Um dos motes da manifestação eram os recentes casos de mortes -inclusive de uma criança- ocorridos em ações policiais na capital fluminense.

                                                             ***

Os outdoors eram do Cedca, Conselho Estadual da Criança de do Adolescente do Estado.

"Liguei para o presidente do Cedca e ponderei que considerava a imagem de muito mau gosto, que isso não ajudava em nada a causa da criança e continha mensagem grave e equivocada sobre a PM", disse o secretário da Casa Civil, Regis Fichter, ao Portal Imprensa.

"Passa uma mensagem que não é a correta e não ajuda em nada."

Segundo a reportagem do portal, o prefeito do Rio de Janeiro, Cesar Maia, classificou o desenho como "fogo amigo".

Os outdoors foram recolhidos.

                                                             ***

Antes das declarações das autoridades fluminenses, Latuff postou um depoimento no site "Centro de Mídia Independente".

Ele considerou corajosa a atitude do Cedca de "reproduzir uma de minhas mais duras charges sobre a violência policial que vitima diariamente crianças e jovens de comunidades pobres".

                                                            ***

Carlos Latuff tem um histórico de charges polêmicas.

No ano passado, foi intimado pela polícia fluminense a prestar esclarecimentos sobre uma charge a respeito dos Jogos Pan-Americanos, realizados no Rio.

Em 2006, um trabalho dele foi rotulado de "cartum satânico" pelo partido conservador Likud, ligado a Israel.

                                                            ***

O blog noticiou o assunto na semana passada. Leia mais neste link.

Crédito: a charge de Carlos Latuff foi reproduzida deste site.

Escrito por PAULO RAMOS às 15h38
[comente] [ link ]

Trabalho de Bá e Moon repercute em jornal dos EUA

É comum ler na grande mídia ecos de assuntos brasileiros noticiados em jornais norte-americanos.

Há quem critique esse tipo de repercussão por ser excessivamente terceiro-mundista, como se fosse necessário o assunto ser publicado fora do país para -aí sim- se tornar notícia.

Mas não deixa de ser relevante o fato de os desenhistas brasileiros Fábio Moon e Gabriel Bá terem sido alvo de uma reportagem do "The Wall Street Journal".

O jornal norte-americano tem a pauta ligada a economia e negócios.

                                                            ***

A matéria foi traduzida na edição desta sexta-feira do jornal "Valor Econômico", dos grupos Folha e Globo.

A reportagem mostra a repercussão da dupla nos Estados Unidos.

Segundo a leitura da reportagem -intitulada "Gêmeos Paulistas Conquistam Espaço no Mercado de HQs"-, o sucesso foi resultado de um investimento a longo prazo.

Isso porque os gêmeos Bá e Moon bancaram por 12 anos viagens anuais à San Diego Comic-Con, principal convenção de quadrinhos norte-americana.

Os dois participam também na convenção de 2008, iniciada esta semana.

                                                            ***

O objetivo das viagens era mostrar o trabalho em terras estadunidenses.

Deu resultado. Neste ano, Bá e Moon já participam como nomes de destaque.

Trabalhos dos dois concorrem em três categorias do Eisner Awards, espécie de Oscar da indústria norte-americana de quadrinhos.

O prêmio vai ser entregue durante a convenção.

                                                            ***

Bá disputa na categoria "melhor minissérie", pelo trabalho em "The Umbrella Academy".

E Moon pelos desenhos feitos em "Sugarshock!", um dos selecionados como "melhor quadrinho digital" (leia mais aqui).

Ambos concorrem ainda com a produção independente "5" na categoria "melhor antologia".

Além deles, participa da obra outro brasileiro, o gaúcho Rafael Grampá.

"5" foi lançada no Brasil há um ano.

Bá foi indicado também a outro prêmio norte-americano, o Harvey Awards, na categoria desenhista, novamente por "The Umbrella Academy" (mais aqui).

                                                            ***

Os dois chamaram a atenção também de Mike Mignola, criador do personagem Hellboy.

Eles vão desenhar uma obra escrita por Mignola e por John Dysart, "BPRD 1947".

Mignola foi um dos entrevistados na reportagem do "The Wall Street Journal".

"Eles estão ficando muito concorridos", disse ao jornal.

"Se conseguirmos só um livro deles, já é mais do que merecemos."                                               

                                                            ***

O UOL está com uma correspondente na San Diego Comic-Con, Heloísa Dall´Antonia.

Ela tem publicado uma série de reportagens e fotografias na editoria Jovem do portal.

Para acessar, clique aqui

E neste link para saber mais sobre a trajetória da dupla.

Escrito por PAULO RAMOS às 14h12
[comente] [ link ]

22.07.08

JBC vai lançar mangá produzido no Brasil

 

 

 

 

 

Capa aberta da revista, que traz duas histórias narradas ao mesmo tempo

 

 

 

 

A editora JBC vai publicar um mangá nacional na próxima Bienal do Livro de São Paulo, marcada para o mês que vem.

A história se pauta no centenário da imigração japonesa no Brasil, comemorado neste ano.

A informação foi noticiada nesta terça-feira no blog "Papo de Budega", especializado em quadrinhos, principalmente japoneses. 

                                                             ***

A obra -escrita pelo jornalista Ricardo Giassetti e desenhada por Bruno D´Angelo- traz duas histórias, que são narradas paralelamente, uma de um lado da revista, outra de outro.

Em dado momento, elas se encontram.

De um lado, o mangá inicia a história "O Catador de Batatas e o Filho da Costureira", como mostra a capa aberta no início desta postagem.

Trata-se da trajetória do imigrante Ikemoto, que vem ao Brasil em busca de novas oportunidades.

                                                             ***

A outra capa da revista inverte o ponto focal da história e o nome da obra.

Anuncia os relatos de "O Filho da Costureira e o Catador de Batatas".

Essa narrativa paralela apresenta Isidoro, um filho de escravos que é criado por Dona Nâna, uma costureira que o acolhe.

                                                             

 

A edição é bilíngüe. Cada uma das histórias é escrita na língua de origem dos personagens retratados.

A parte de Isidoro é escrita em português. Notas de rodapé traduzem os mesmos diálogos para o japonês., como ilustra a página acima.

O contrário ocorre na história do imigrante oriental.

                                                             ***

A JBC publica mangás no Brasil desde 2001. A empresa foi fundada no Japão em 1992.

Neste mês, a editora anuncia o lançamento de 13 mangás.

Três deles são novas séries: "Onegai Twins", "Hellsing" e "Nana".

                                                             ***

O Studio Vermis, formado por autores independentes paulistas, também produziu uma revista nacional em estilo japonês, a "TokyoAki".

A obra começou a ser vendida neste mês. Leia mais aqui.

Crédito: as duas imagens desta postagem são reproduções do blog "Papo de Budega" (link).

Escrito por PAULO RAMOS às 14h01
[comente] [ link ]

Charge polêmica é usada para divulgar ato público no Rio

 

 

O outdoor acima divulga um ato público em defesa da vida, marcado para esta quarta-feira de manhã, na Igreja da Candelária, no Rio de Janeiro.

A publicidade usa uma charge, de autoria do brasileiro Carlos Latuff.

O desenho mostra um policial armado. À frente dele, uma mulher chora ao segurar nos braços um garoto baelado, possivelmente seu filho.

Atrás do policial, um camburão da corporação, apelidado de "caveirão".

A imagem foi noticiada ontem à noite em matéria do site "Globo Online", de onde este blog reproduz a fotografia.

                                                              ***

O ato público foi pautado pelos recentes casos de mortes de civis ocorridos no Rio de Janeiro. Um administrador e uma criança perderam a vida em ações policiais.

O protesto aproveita também uma coincidência de datas.

Marca os 18 anos de criação do ECA –Estatuto da Criança e do Adolescente- e os 15 anos da morte de moradores de rua em frente à Igreja da Candelária, no centro da cidade.

O caso ficou conhecido como chacina ou massacre da Candelária.

                                                             ***

Sete meninos e um jovem foram assassinados na madrugada de 23 de julho de 1993.

Seis policiais militares foram julgados pelo crime. Três foram condenados.

É por isso que o ato público tem início em frente à Igreja da Candelária.

Começa com uma missa, às 9h, e continua com uma caminhada até a Cinelândia.

                                                             ***

Curiosamente, o ato marca indiretamente outra data: a de um ano da intimação feira a Carlos Latuff.

Ele foi convocado a prestar esclarecimentos à Delegacia de Repressão aos Crimes de Propriedade Itelectual sobre uma charge que fazia crítica à suposta violência no Estado na preparação dos Jogos Pan-Americanos, realizados em junho de 2007, no Rio de Janeiro.

O mascote dos jogos, Cauê, era mostrado com um fuzil em punho, pouco à frente de um camburão da polícia, o mesmo "caveirão" mostrado na charge do ato público.

A data da initmação era 26 de julho. Latuff compareceu dois dias depois.

O motico era uso indevido de marca.

                                                             ***

Não foram os únicos casos polêmicos vividos pelo desenhista.

Em 2006, um manifesto do partido conservador de direita Likud, ligado a Israel, rotulou um trabalho dele de "cartum satânico" e conclamou os simpatizantes a se unirem contra o desenhista carioca.

A ilustração mostrava um sorridente Tio Sam (símbolo dos EUA) aplaudindo um militar que segurava uma bomba com os dizeres "From Israel with Love" (De Israel com Amor).

O alvo eram crianças libanesas da cidade de Qana, a quem Latuff dedica a arte ("in loving memory").

                                                             ***

O caso repercutiu na Embaixada de Israel.

A Embaixada lamentou os desenhou e os comparou "aos do sistema de propaganda nazista".

Na ocasião, Latuff comentou, em entrevista ao blog: "Mas é claro que IsraHell (sic.) não poderia responder de forma diferente".

"Agora imagine se a mesma declaração tivesse sido feita numa página relacionada a um partido árabe/muçulmano, referindo-se a um cartunista judeu. Será que a Embaixada de IsraHell (sic., de novo) teria a mesma opinião sobre liberdade de expressão?".

                                                             ***

Leia aqui sobre a polêmica envolvendo a charge criticada pelo Likud.

E aqui para ler sobre a intimação sofrida por Latuff em 2007.

Escrito por PAULO RAMOS às 11h07
[comente] [ link ]

19.07.08

A leitura dos chargistas sobre o caso Daniel Dantas

O chargista é uma espécie de termômetro do impacto das notícias nas pessoas.

Por esse raciocínio, a temperatura dos habeas-corpus dados a Daniel Dantas e do afastamento do delegado da Polícia Federal responsável pelo caso está quentíssima, quase febril, na leitura dos chargistas.

Um exemplo do dia, feito por Bessinha e reproduzido do site "Charge Online":

 

 

O "Charge Online" tinha muitos outros exemplos neste sábado, todos bem críticos.

A página virtual reproduz virtualmente charges veiculadas em jornais impressos.

Para acessar, clique aqui.

Escrito por PAULO RAMOS às 18h33
[comente] [ link ]

13.07.08

Curta sobre morte de Rê Bordosa ganha dois prêmios em Paulínia

 

 

O curta-metragem "Dossiê Rê Bordosa", dirigido por Cesar Cabral, venceu dois prêmios do 1º Festival Paulínia de Cinema. A cerimônia de entrega ocorreu no sábado à noite.

A produção foi escolhida o melhor curta nas seleções feitas pelo júri oficial e pela crítica.

A animação procura responder por que o cartunista Angeli matou a personagem em 1987.

O filme já havia conquistado uma menção honrosa no Anima Mundi e dois prêmios do "Cine-PE", de Permambuco, nas categorias melhor roteiro e trilha.

                                                             *** 

O diferencial do curta é que todos os entrevistados são mostrados na forma animada.

Funciona como se fosse um documentário. Ouve-se a voz dos entrevistados, mas a imagem que se vê deles é feita por meio de animações.

Entre os entrevistados, estão o cartunista Laerte, o editor da revista "Chiclete com Banana", Toninho Mendes, e o próprio Angeli.

É ele, mais jovem, na imagem acima, ao lado de Rê Bordosa. E também na vista abaixo, durante depoimento em uma das cenas presentes no curta.

 

 

O principal destaque do festival de cinema, realizado em Paulínia (a 118 km de São Paulo), foi o longa "Encarnação do Demônio", dirigido por José Mojica Marins, o Zé do Caixão.

O filme venceu em sete categorias da premiação, entre elas a de melhor filme.

Se não houver mudanças de programação, o longa estréia nos cinemas em 8 de agosto.

Antes disso, deve ser lançado o álbum em quadrinhos "Prontuário 666 - Os Anos de Cárcere de Zé do Caixão". A obra, da Conrad, foi desenhada por Samuel Casal e vai custar R$ 24.

O álbum é anunciado pela editora como "a história em quadrinhos que precede o filme".

O 1º Festival Paulínia de Cinema é uma tentativa do município de tornar a cultura a segunda fonte de renda da cidade. Paulínia é conhecida economicamente como pólo petroquímico.

                                                             ***

"Dossiê Rê Bordosa" será exibido neste mês no Anima Mundi, tanto na edição do Rio de Janeiro (até dia 20) quanto na de São Paulo (de 23 a 27 de julho).

Há exibições também em Belo Horizonte (MG), Salvador (BA) e no 36º Festival de Cinema de Gramado (RS).

O curta tem um site com mais informações sobre as exibições e o filme. São de lá as fotos mostradas nesta postagem. A página virtual tem também dois trailers da animação.

Para assistir, clique aqui.

Rê Bordosa fez parte de outra animação, o longa "Wood & Stock - Sexo, Orégano e Rock´n Roll", de Otto Guerra, exibido em 2006. A cantora Rita Lee dublou a personagem.

Leia mais sobre o filme de otto Guerra, inspirado nas criações de Angeli, neste link.

                                                             ***

Nota: as informações desta postagem foram baseadas em matérias do portal UOL e da Folha Online.

                                                            ***

Post postagem (14.07, 11h52): a leitora Elza Dantas corrige uma informação desta postagem. "Dossiê Rê Bordosa" venceu também um terceiro prêmio no festival.

O curta ganhou também na categoria júri popular. O filme ficou empatado com "Vida Maria", de Marcio Ramos. Fica registrada a correção.

Escrito por PAULO RAMOS às 19h10
[comente] [ link ]

08.07.08

Duas tiras do dia que merecem registro

Nem sempre a graça da tira cômica está nos personagens ou nas palavras.

Muitas vezes, o gancho para o efeito de humor reside no balão.

Há dois exemplos disso nesta terça-feira.

Curiosamente, ambos aparecem na edição de hoje da "Folha de S.Paulo".

 

 

 

Na primeira tira, de Laerte, a curiosidade está no uso das reticências e da exclamação para indicar a alteração dos estados emocional e mental do personagem.

Na segunda, de Adão Iturrusgarai, a piada está no uso metalinguagem.

Em vez de servir de suporte para a fala, o balão é transformado num ser assassino.

A situação inesperada é o que provoca o efeito de humor no leitor.

Crédito: as duas tiras foram reproduzidas da versão on-line da "Folha de S.Paulo". 

Escrito por PAULO RAMOS às 09h46
[comente] [ link ]

05.07.08

Gaiman acha curioso HQs ainda serem literatura menor no Brasil

O escritor Neil Gaiman participa da edição deste ano da Flip (Festa Literária Internacional de Paraty). Ele veio na qualidade de autor literário.

Mas deu a lógica: é noticiado como escritor de quadrinhos.

É sob o rótulo "HQ Pop" que a página principal do portal UOL, por exemplo, noticia na tarde deste sábado a participação dele no evento de Paraty, no Rio de Janeiro.

Gaiman é autor de "Sandman", série que virou item pop entre leitores e não leitores de quadrinhos.

                                                            ***

O escritor condedeu entrevista ao repórter Gustavo Martins, aqui do UOL.

Um dos assuntos abordados foi a questão de os quadrinhos serem uma "literatura menor". Gaiman considera o tema superado nos Estados Unidos e na Inglaterra.

Reproduzo, a seguir, trecho da reportagem:

                                                            ***

Gaiman diz que uma das coisas que acha curiosas no Brasil é que ainda persiste a questão se quadrinhos seriam uma forma menor de literatura (que foi perguntada na coletiva, inclusive).

"Na Inglaterra e nos EUA, essa discussão já foi resolvida quando o Art Spiegelman ganhou um prêmio Pullitzer por 'Maus', e depois quando 'Watchmen' foi eleita uma das cem maiores obras da literatura pela Time Magazine", afirmou.

"Os quadrinhos obviamente têm qualidades diferentes da prosa, mas pra mim é como discutir se o teatro é menor do que a prosa porque tem atores falando o que você deveria imaginar."

                                                            ***

Leia a íntegra da reportagem com Neil Gaiman neste link.

Escrito por PAULO RAMOS às 15h46
[comente] [ link ]

02.07.08

A morte do Homem-Aranha

Na versão de Adão Iturrusgarai:

 

 

Crédito: a tira cômica foi publicada na edição de hoje do jornal "Folha de S.Paulo".

Escrito por PAULO RAMOS às 14h00
[comente] [ link ]

01.07.08

Aquele abraço

 

A ilustração acima, de Eduardo Baptistão, faz menção ao abraço que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu em Fernando Henrique Cardoso na semana passada.

A cena ocorreu durante o velório da ex-primeira-dama e antropóloga Ruth Cardoso, esposa de Fernando Henrique. Foi uma das principais imagens da semana.

O desenho ilustra a coluna desta terça-feira de Arnaldo Jabor, publicada no jornal "O Estado de S. Paulo". Esta postagem reproduz o mesmo título usado por ele.

Jabor parte da hipótese de que Lula gosta de FHC. E que FHC gosta de Lula.

Para Jabor, o presidente teria aprendido com seu antecessor.

E teria influenciado na fundação do PSDB.

O desenho de Baptistão, baseado na cena real, capta exatamente essa idéia.

Nota: reproduzo o desenho com permissão do autor.

Escrito por PAULO RAMOS às 16h55
[comente] [ link ]

Quatro tiras que merecem registro

 

 

 

As duas tiras cômicas são de autoria de Rafael Sica.

Foram postadas nos últimos dias no blog dele, chamado "Quadrinho Ordinário" (link).

 

 

Essa tira filosófica de Laerte lembra um texto do poeta Mario Quintana (1906-1994):

"Assim devia ser a relação de autor para leitor: Uma face nua num espelho límpido. Mas é tão difícil... Ou a face está mascarada ou o espelho embaciado."

 

 

 

A tira cômica de Chico Bacon, feita por Caco Galhardo, aproveita a polêmica sobre o endurecimento da Lei do Bafômetro.

As duas últimas tiras foram publicadas na edição de hoje da "Folha de S.Paulo".

Escrito por PAULO RAMOS às 14h32
[comente] [ link ]

[ ver mensagens anteriores ]