25.01.10

Prefeitura de São Paulo quer tirar jornaleiros do centro

No dia em que São Paulo comemora 456 anos, uma notícia turva as cores das comemorações. A prefeitura planeja tirar 84 bancas de jornal da região central da cidade.

A informação foi noticiada na revista "Veja São Paulo" pela repórter Sara Duarte. Segundo a matéria, os jornaleiros foram notificados no ano passado de que serão removidos.

A justificativa: questões de segurança. Na leitura da prefeitura, a presença das bancas dificulta a atuação da Guarda Civil Metropolitana e da Polícia Civil.

"Muitas costumam se tornar esconderijos de ladrões em fuga", disse à reportagem o secretário municipal das Subprefeituras, Ronaldo Camargo.

                                                          ***

Os donos de bancas questionam a explicação dada pela prefeitura. E já se organizam: elaboraram um abaixo-assinado para ser entregue ao prefeito Gilberto Kassab.

O documento já contaria com mais de 50 mil assinaturas. Se não sustir efeito, o Sindicato dos Vendedores de Jornais e Revista de São Paulo planeja discutir o assunto na Justiça.

A prefeitura disse, na reportagem, que irá orientar os jornaleiros a procurar outros pontos de venda. A cidade tem em torno de 5 mil bancas de jornal.

O que regulamenta a atuação na capital paulista é uma licença chamada Termo de Permissão de Uso. A autorização é temporária e pode ser cancelada a qualquer momento.

                                                         ***

Nota: agradeço aos colegas do blog "Planeta Gibi" pela indicação desta pauta.

Escrito por PAULO RAMOS às 17h55
[comente] [ link ]

21.01.10

Estadão vai publicar quadrinhos de Mutarelli e Quintanilha

O jornal "O Estado de S. Paulo" vai publicar histórias em quadrinhos de Lourenço Mutarelli e Marcello Quintanilha. Mutarelli estreia nesta sexta-feira. Quintanilha, no sábado.

A informação foi noticiada na edição de hoje do jornal. O assunto ganhou chamada na capa e ocupou três páginas do caderno de cultura, onde serão veiculadas as séries.

Os trabalhos seguirão o estilo narrativo dos dois autores. Mutarelli irá se pautar na experimentação e Quintanilha, nos contos urbanos ambientados no Brasil.

De acordo com o jornal, a página de tiras será redimensionada para abrigar as produções dos dois quadrinistas, já veteranos na arte da narrativa gráfica.

                                                          ***

A série de Mutarelli será chamada "Ensaio sobre a Bobeira" e marca definitivamente o retorno do também escritor e ator aos quadrinhos, que produziu até o meio da década.

"Tem um personagem, que é o Bob, uma brincadeira com o bobo", diz o autor à reportagem do Estadão, assinada pelo jornalista Jotabê Medeiros.

"São figuras de máscaras, e ele geralmente responde a perguntas estranhas que me ocorrem. É uma piada que está sendo contada para mim naquele momento que estou fazendo."

No caso de Quintanilha, que há anos vive na Espanha, os temas seguirão o visto no álbum "Sábado dos Meus Amores", eleito o melhor de 2009 em lista feita por jornalistas da área.

                                                         ***

O ingresso dos dois autores no caderno de cultura é a mais ousada aposta do jornal na área de quadrinhos vista nos últimos anos.

"O Estado de S. Paulo" tem um histórico de inovar pouco no setor, em particular na produção nacional. Publica cinco tiras cômicas, só uma brasileira, da Turma da Mônica.

Outro sinal disso foi o concurso de tiras que o jornal realizou no primeiro semestre de 2008.

Os dois vencedores - Custódio e Tobias Botelho - não tiveram os trabalhos aproveitados. As tiras deles foram publicadas apenas em reportagem sobre a premiação.

Escrito por PAULO RAMOS às 15h02
[comente] [ link ]

12.01.10

Blog recupera reportagens sobre quadrinhos de 20 anos atrás

 

Reportagem da Folha de S.Paulo de 15.11.88

 

Merece registro a descoberta de Lielson Zeni, veiculada nesta terça-feira no site "Universo HQ": um blog disponibiliza reportagens sobre quadrinhos das décadas de 1980 e 90.

Foi um período em que os jornais de grande circulação - como "Folha de S.Paulo" e "Estado de S. Paulo" - criaram colunas fixas sobre o tema nos cadernos de cultura.

Muito disso se pautava nas publicações norte-americanas voltadas ao leitor adulto, como o então inédito "Watchmen", "Cavaleiro das Trevas" e "V de Vingança", da Abril e da Globo.

Como o blog bem observa, foi nesse período histórico em que começaram a se firmar no Brasil termos como graphic novel e minissérie. Um rico material de pesquisa.

                                                         ***

A página virtual foi criada por Rogério Marmo, colecionador dessas reportagens. Até o momento, há cinco no ar. Para conhecer o blog "Quadrinhos no Brasil 80/90", clique aqui.

Escrito por PAULO RAMOS às 09h58
[comente] [ link ]

02.01.10

João Montanaro estreia com pompa na Folha de S.Paulo

 

Doubli, de João Montanaro. Crédito: versão on-line da Folha de S.Paulo

 

 

 

 


História do personagem Doubli, que o desenhista de 13 anos passa a publicar no jornal a partir deste sábado 

 

 

 

 

 

 

João Montanaro não cresceu ainda. Mas já apareceu. O jovem de 13 anos estreou neste sábado uma página de quadrinhos na "Folhinha", suplemento infantil da "Folha de S.Paulo".

A história é a mostrada no início desta postagem. Ocupa toda a página final do suplemento, feito em tamanho tabloide, equivalente a metade de uma folha de jornal.

A estreia ganhou matéria de duas páginas na "Folhinha" e chamada na capa da Folha, com direito a foto. João aparece ao lado de sua criação, o personagem Doubli.

Doubli é descrito como um menino na faixa dos nove anos, que não gosta muito de estudar, mas é chegado em futebol. Seu cartunista preferido é justamente o João.

                                                        ***

A "Folha de S.Paulo" faz uma forte aposta no jovem desenhista. Com a entrada dele, quatro autores deixam de ter seus trabalhos incluídos no suplemento, segundo o jornal.

João informa, via Twitter, que irá publicar suas histórias em quadrinhos duas vezes por mês. O adolescente já vinha publicando tiras e cartuns na revista de humor "Mad".

A história dele foi contada pela primeira vez aqui no blog, em abril de 2009. Autodidata, começou a fazer os primeiros desenhos aos seis anos, copiando da televisão.

Foi aprimorando a arte e mantendo contato com outros autores, como Orlando Pedroso e Adão Iturrusgarai, com quem troca e-mails. Não nega também influência de Liniers.

                                                         ***

João mantém um blog com seus trabalhos. Para acessar, clique aqui.

                                                         ***

Leia a reportagem sobre a trajetória de João Montanaro na postagem do blog de 23.04.09.

Escrito por PAULO RAMOS às 11h22
[comente] [ link ]

[ ver mensagens anteriores ]