28.01.09

Aproveite o Dia do Quadrinho Nacional e divulgue seu trabalho

A próxima sexta-feira, dia 30, é o Dia do Quadrinho Nacional.

Para marcar a data, está página vai divulgar sites e blogs de quadrinhos nacionais.

Basta que o autor me envie, por e-mail, o link e os dados pessoais (leia mais abaixo).

A proposta é tornar este blog um ponto focal da data e contribuir - ainda que de forma modesta - para a difusão de trabalhos, muitas vezes desconhecidos do grande público.

                                                            ***

É a segunda vez que o blog faz esse tipo de divulgação.

O mesmo foi feito em 30 de janeiro do ano passado. Foram reunidos 125 links.

Todos podem ser (re)lidos no item "dicas" no canto esquerdo da tela.

                                                             ***

Aos autores, peço apenas a gentileza de observar estas orientações:

  • envie um e-mail para blogdosquadrinhos@uol.com.br com o link do site/blog
  • coloque seu nome completo ou artístico, idade e onde mora
  • escreva uma frase curta que resuma seu trabalho em quadrinhos
  • anexe um dos últimos trabalhos - em alta resolução - mostrados na página

Podem enviar os e-mails desde já.

A próxima postagem será no dia 30, já com os primeiros trabalhos.

                                                             ***

Uma última gentileza, inclusive aos leitores: divulguem este convite a outros autores.

Essa difusão virtual é importante para abranger o maior número possível de quadrinistas.

Fico desde já no aguardo.

Escrito por PAULO RAMOS às 20h07
[comente] [ link ]

Por que 30 de janeiro é o Dia do Quadrinho Nacional?

 

A resposta para a pergunta acima está nesta imagem:

 

Crédito: reprodução

 

Os dois quadrinhos iniciam a história "As Aventuras de Nhô Quim, ou Impressões de uma Viagem à Corte", do ítalo-brasileiro Angelo Agostini (1843-1910).

A narrativa foi publicada em página dupla no jornal "Vida Fluminense" em 30 de janeiro de 1869. É por isso que a data foi escolhida para marcar o Dia do Quadrinho Nacional.

A bem da verdade, é possível ver produções quadrinísticas anteriores, caso das charges.

Mas isso não diminui o trabalho inovador do artista e a relevância histórica da obra, inclusive em termos mundiais.

                                                           ***

Na falta de um nome preciso para o que criava, Agostini usou o rótulo "história em muitos capítulos", estampado no canto direito superior da página.

Percebiam-se aí os primeiros esboços da linguagem que se configuraria, algumas décadas depois, no que conhecemos por histórias em quadrinhos.

Não havia balões, linhas cinéticas (traços que indicam movimento), onomatopeias, metáforas visuais. Mas havia a base dos quadrinhos, a narrativa mostrada em sequência.

 E inovações no uso da linguagem visual, como esta:

 

Crédito: reprodução

 

O primeiro quadrinho é todo preto. Motivo: o personagem estava num trem que, naquele momento, passava por um "túnel grande". O recurso continua inovador, 140 anos depois.

A história tinha toques de humor, como se lê no trecho acima, mas também de aventura.

Essa temática só seria usada pelos americanos na virada das décadas de 1920 para 30.

                                                           ***

O tom de aventura ficou mais evidente em outro trabalho de Agostini, bem mais popular que este no século 19: "As Aventuras do Zé Caipora".

A primeira parte da história é de 27 de janeiro de 1883.

Uma vez mais, Agostini produzia uma narrativa em sequência, com legendas abaixo dos quadrinhos. Mas aprimorava o traço e o contorno dos quadrinhos, ora maiores, ora menores.

                                                            ***

Costuma-se atribuir a "Yellow Kid", produção norte-americana do fim do século 19, o ponto de partida para os quadrinhos.

A história, na verdade, foi a primeira a usar os quadrinhos como meio de comunicação de massa de forma mais organizada.

O início mesmo coube a outros trabalhos pioneiros, nem sempre lembrados.

                                                           ***

A Inglaterra produzia "Dr. Sintaxe" já em 1798. Houve outros casos de histórias de humor na Europa ao longo do século 19.

E os brasileiros têm em Angelo Agostini um dos precursores, inclusive na temática.

O desenhista já produzia quadrinhos de aventura muito antes dos norte-americanos, que gostam de destacar serem os primeiros a produzir o gênero. 

                                                           ***

Nota: as primeiras história de Nhô Quim e de Zé Caipora - não são a mesma narrativa, não custa reforçar - foram compiladas num livro, publicado em 2002 pelo Senado Federal.

É de lá boa parte das informações mencionadas nesta matéria.

Também são da obra as duas imagens que ilustram esta postagem.

Escrito por PAULO RAMOS às 19h35
[comente] [ link ]

27.01.09

Diferentes eventos marcam Dia do Quadrinho Nacional

Crédito: divulgação 

 

 

 

 

 

 

Álbum histórico "Heróis da Restauração Pernambu- cana", tema de palestra em Recife na sexta-feira à noite, é um dos itens da programação  

 

 

 

 

 

 

 

Uma série de palestras e encontros vai marcar o Dia do Quadrinho Nacional, comemorado na próxima sexta-feira, dia 30.

Os eventos ocorrem em diferentes partes do país. E começam já no dia 29.

                                                           ***

5ª, 20h, no Rio de Janeiro
Debate "Humor Enquadrado - Gargalhadas em Quadrinhos", com participações de André Dahmer, Allan Sieber e Clara Gomes, e mediação de Arnaldo Branco
Local: Livraria Travessa, unidade Leblon, av. Afrânio de Melo Franco, 290 

6ª, às 15h, em São Paulo
Palestra sobre a produção de histórias em quadrinhos no Brasil, ministrada pelo pesquisador Nobu Chinen
Local: Centro Cultural da Juventude, av. Deputado Emílio Carlos, 3.641

6ª, das 16h às 23h, em Santo André, no ABC paulista
6º Encontro dos Cartunistas do ABC e São Paulo
Local: Frans Café, av. Portugal, 1.126

6ª, a partir das 19h, em Recife
Palestras sobre os quadrinhos em Pernambuco, ministradas por Amaro Braga e Henrique Virgínio; após as exposições, vai haver sessão de autógrafos dos álbuns "Heróis da Restauração Pernambucana" (R$ 15) e dos quatro volumes de "Passos Perdidos - História Desenhada" (R$ 25 cada um).
Local: Livraria Cultura do Shopping Paço Alfândega, rua Madre de Deus, s/n

6ª, 19h30, em Campinas, no interior de São Paulo
Sessão de autógrafos de "Macaco Albino" (R$ 3), de Leandro Robles
Local: Casa da Vó Restaurante e Pizzaria, av. Albino J.B. de Oliveira,1.600

sábado, 19h30, em São Paulo
Lançamento da revista "NFL Comics", de Ha1000ton, Bira Dantas, Laudo Ferreira Júnior, Omar Viñole e Carlos Morgani
Local: HQMix Livraria, Praça Roosevelt, 142
Obs: este lançamento não está diretamente ligado ao Dia do Quadrinho Nacional

                                                           ***

É possível que a programação seja maior. Se o evento não foi incluído, é por puro desconhecimento do autor deste blog.

Sabe de mais alguma comemoração do Dia do Quadrinho Nacional?

Agradeceria se deixasse registrada nos comentários abaixo.

Escrito por PAULO RAMOS às 23h29
[comente] [ link ]

HQ de animação indicada ao Oscar vai ser lançada no Brasil

 

Sequência do filme

 

A versão em quadrinhos do longa de animação "Valsa com Bashir" vai ser lançada no Brasil pela L&PM. A editora gaúcha promete a o álbum para "breve".

A produção israelense venceu o Globo de Ouro como melhor filme estrangeiro e concorre na mesma categoria no Oscar deste ano.

O álbum em quadrinhos é escrito por Ari Folman, que também dirigiu a animação. Os desenhos são de David Polonsky, diretor de arte do filme.

                                                            ***

No longa, Folman busca reconstruir suas memórias de quando integrou o exército israelense na invasão ao Líbano em 1982.

Para isso, conta com uma série de depoimentos. Os entrevistados também são mostrados em forma de desenho.

"Valsa com Bashir" teve uma primeira exibição por aqui no ano passado na mostra de cinema de São Paulo.

A estreia nos cinemas está programada para o começo de abril. Veja o trailer abaixo:

                                                       

 

Escrito por PAULO RAMOS às 12h35
[comente] [ link ]

26.01.09

Álbum de luxo vai relançar primeiras histórias do Demolidor

 

Crédito: reprodução

 

 

 

 

 

 

 


Capa da primeira revista do personagem nos Estados Unidos, título incluído na edição programada para ser publicada em março pela editora Panini

 

 

 

 

 

 

 

As primeiras aventuras do Demolidor serão relançadas em um álbum de luxo da coleção Biblioteca Histórica Marvel, da editora Panini. A obra está programada para março.

O álbum trará as 11 primeiras histórias da revista "Daredevil", título do personagem nos Estados Unidos. O número de estreia é de abril de 1964 (capa acima).

O herói foi criado por Stan Lee e Bill Everett para a editora norte-americana Marvel Comics.

O diferencial do personagem é ser cego. O mesmo acidente que tirou a visão dele ampliou seus sentidos, o que lhe permitia combater o crime como o Demolidor.

                                                           ***

A coleção Biblioteca Histórica Marvel foi lançada na metade de 2007. A linha reúne histórias clássicas de heróis da Marvel. Para este ano, a Panini programa outros álbuns da série.

A editora pretende lançar os segundos volumes de Quarteto Fantástico e Vingadores, que inicialmente seriam publicados no ano passado.

Também está nos planos um segundo álbum do Surfista Prateado e os terceiros volumes com histórias antigas de Homem-Aranha e X-Men.

A editora lançou também números com as primeiras aventuras de Capitão América, O Poderoso Thor, O Incrível Hulk e Homem de Ferro. 

                                                            ***

A coleção é vendida em lojas especializadas em quadrinhos e em livrarias, filão que a Panini passou a explorar a partir de 2007. Nas bancas, a editora multinacional é líder de mercado.

Segundo o editor responsável pela linha Marvel no Brasil, Fernando Lopes, a série Biblioteca Histórica Marvel não será o único lançamento voltado às livrarias neste ano.

Mas ele faz suspense sobre o assunto.

"Temos alguns outros produtos previstos, mas ainda é cedo para divulgá-los", diz. "Posso adiantar, contudo, que temos entre eles algumas obras há muito aguardadas pelos fãs."

Escrito por PAULO RAMOS às 22h31
[comente] [ link ]

25.01.09

Malvados ganha prêmio do júri do Best Blogs Brazil

 

Fonte: blog Malvados

 

O júri do Best Blogs Brazil indicou "Malvados", de André Dahmer, como o melhor blog de quadrinhos de 2008.

Os nomes foram divulgados no site da premiação, que busca dar visibilidade aos blogs.

Os troféus foram entregues na noite de sábado no Campus Party, evento de tecnologia realizado durante toda a semana passada em São Paulo.

Ao todo, são 30 categorias. É a primeira vez que o prêmio inclui quadrinhos na relação.

                                                            ***

O Best Blogs Brazil faz a definição dos vencedores em duas etapas. Na primeira, votam apenas os internautas.

Nessa primeira seleção, o blog de quadrinhos escolhido foi "Dr. Pepper", como o blog noticiou no último dia 20.

"Malvados", na lista popular, havia sido o sétimo blog mais votado.

Saiba mais sobre "Malvados" neste link. E neste para visitar a página de André Dahmer.

                                                            ***

Merece registro as histórias feitas por Cadu Simões e Gil Tokio durante o Campus Party.

Os dois quadrinistas participaram do evento e postaram o divertido dia-a-dia no blog do "Quarto Mundo", grupo independente de autores de diferentes partes do país.

"O Guia dos Campuseiros Cucarachas", nome do relato, pode ser lido neste link.

                                                            ***

Post postagem (26.01, às 10h14): avisam-me por e-mail que há um ar de ironia na premiação de "Malvados". O motivo é que André Dahmer, o autor do blog, teceu críticas ao Campus Party, onde ocorreu a entrega dos troféus, e se negou a ir ao evento midiático.

As críticas dele foram noticiadas pela "Folha Online". "Por trás de toda roupagem jovem e moderna da Campus Party, com suas barraquinhas neo-hippies, suas conexões sem fio e seus blogueiros famosos, está a Telefônica, grande campeã de reclamações no Procon-SP", disse Dahmer.

"Esses eventos estão se tornando o paraíso de agências de marketing virais e de blogueiros sem qualquer conteúdo, gente que quer apenas fazer (pouco) dinheiro copiando e colando informações em seus blogs. Acho um meio de vida pobre, triste e poluidor".

Outros blogueiros também criticaram o evento. A íntegra da matéria pode ser lida aqui.

Escrito por PAULO RAMOS às 21h20
[comente] [ link ]

23.01.09

Livro faz raio-x da linguagem dos quadrinhos

 

Crédito: divulgação

 

 

 

 

 

 

 

"A Leitura dos Quadrinhos", que chega às livrarias nesta semana, esmiúça recursos visuais e verbais usados nas HQs

 

 

 

 

 

 

 

 

Quais as características da linguagem dos quadrinhos e quais seus diferentes gêneros?

O livro "A Leitura dos Quadrinhos", que começa a chegar nesta semana às livrarias (Contexto, 160 págs., R$ 23), procura dar respostas a essas questões e trazer um olhar aprofundado e crítico sobre os recursos das histórias em quadrinhos.

A obra, de minha autoria, é o tema desta terceira e última postagem da série sobre livros teóricos lançados entre o final de 2008 e início deste 2009.

                                                            ***

O livro procurou investigar tudo - ou quase tudo - que já foi publicado sobre o tema, tanto no Brasil quanto no exterior.

A partir dessa leitura, foi feita uma abordagem atualizada e crítica de cada um dos conceitos, dividida em sete capítulos.

Cada um dos recursos é fundamentado e exemplificado com base em histórias em quadrinhos nacionais e estrangeiras já publicadas no Brasil.

Há também exemplos de trabalhos produzidos na internet.

                                                            ***

Mas a obra não se detém apenas na revisão crítica da literatura sobre o assunto, ainda pequena dada a importância do tema.

O livro dá um passo além, trazendo uma discussão nova sobre elementos nunca antes trabalhados do ponto de vista teórico.

E tenta fazer uma inédita aproximação entre os estudos linguísticos e a linguagem dos quadrinhos, principalmente na representação da oralidade, que não ocorre só nos balões.

                                                            ***

"A Leitura dos Quadrinhos" integra a coleção "Linguagem & Ensino", da Editora Contexto.

A série é voltada a professores, estudantes universitários, pesquisadores e profissionais da área de comunicação. Por isso, houve o cuidado de o texto ser acessível a pessoas não iniciadas na área.

Mas o interesse pela obra é mais amplo.

Pessoas que gostam de quadrinhos, por exemplo, têm no livro uma oportunidade de se aprofundar na linguagem e em seus sempre inovadores recursos.

                                                            ***

É possível ler na internet uma parte de "A Leitura dos Quadrinhos".

A editora disponibilizou a introdução e o sumário em pdf. Podem ser acessados aqui e aqui.

E a Livraria Cultura oferece o primeiro capítulo, sobre gêneros, também em pdf. Clique aqui.

Escrito por PAULO RAMOS às 10h23
[comente] [ link ]

22.01.09

Narrativas Gráficas e Falas & Balões ganham novas edições

 

Crédito: reprodução

 

 

 

 

 

 

Obra de Will Eisner teve edição ampliada; outros livros teóricos do autor, um deles inédito, serão lançados ainda este ano 

 

 

 

 

 

 

 

As obras não são novas, mas ganharam novas edições neste início de 2009.

O conteúdo de "Narrativas Gráficas de Will Eisner" e "Falas & Balões - A Transformação dos Textos nas Histórias em Quadrinhos" é essencialmente o mesmo das primeiras versões, lançadas respectivamente em 2005 e 1998.

As principais diferenças estão nos capítulos extras e no tratamento editorial.

As duas reedições - e as mudanças em relação às versões anteriores - são o tema desta segunda postagem sobre obras teóricas sobre quadrinhos lançadas na virada do ano.

                                                            ***

"Narrativas Gráficas" (Devir, 176 págs., R$ 40) manteve o formato original, mas ganhou nova capa e um capítulo que não existia na primeira edição da obra, lançada também pela Devir.

A parte extra aborda a presença dos quadrinhos na internet.

Nas cinco páginas do novo capítulo, o autor, o norte-americano Will Eisner (1917-2005), faz uma rápida descrição da diferença de leitura nas páginas impressas e na tela e quais as melhores maneiras de transpor para o computador a arte desenhada.

                                                            ***

O capítulo extra é coerente com a proposta da obra: dialogar com o produtor de quadrinhos, que quer criar histórias desenhadas ou aprimorar a arte delas. 

Eisner procura mostrar como se processa a narrativa nos quadrinhos. A maioria dos exemplos apresentados é do próprio autor.

O livro é a segunda obra teórico-prático dele. O primeiro, "Quadrinhos e Arte Sequencial", fazia uma descrição da linguagem dos quadrinhos e se tornou referência na área.

                                                            ***

"Quadrinhos e Arte Sequencial" também será relançado pela Devir. A primeira versão da obra é de 1989. Foi publicada pela editora Martins Fontes e teve mais de uma edição.

A Devir planeja lançar ainda um terceiro livro de Eisner, "Anatomia Expressiva".

Inédita no Brasil, a obra foi publicada nos Estados Unidos após a morte do autor.

Segundo a editora, os dois trabalhos serão publicados ainda este ano.

 

Crédito: reprodução

 

 

 

 

 

 

 

Livro de Marcos Nicolau discute a evolução das falas e dos balões nos quadrinhos; nova edição ganhou capítulos extras

 

 

 

 

 

 

 

 

"Falas & Balões" (Marca de Fantasia, 68 págs., R$ 11) é um trabalho bem mais sintético, se comparado ao de Eisner. Mas tem em comum o objetivo de abordar elementos da narrativa em quadrinhos.

No caso do livro de Marcos Nicolau, coordenador do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal da Paraíba, o interesse está nas mudanças textuais vistas ao longo dos anos.

O autor procura encontrar momentos que apresentaram algumas dessas mudanças, alterações que ajudaram a tornar mais rica e complexa a linguagem.

Como a presença de outras formas narrativas - herança da literatura - e o surgimento das onomatopeias.

                                                           ***

Em essência, a obra é a mesma que foi lançada em 1998, também pela Marca de Fantasia.

Há um novo capítulo e um apêndice. O capítulo extra atualiza o tema na série "Sin City", de Frank Miller. A outra parte traça uma cronologia evolutiva das falas e balões.

O tratamento editorial também é outro. O formato é de bolso, menor que o da primeiro versão, em tamanho revista. Isso exigiu a retirada de parte dos exemplos ou o deslocamento deles para o final da obra.

O livro só é vendido por meio do site da editora Marca de Fantasia (link). Hoje à tarde, estava fora do ar. Mas vá tentando.

                                                            ***

Próxima postagem: "A Leitura dos Quadrinhos", que chega às livrarias nesta semana.

Escrito por PAULO RAMOS às 17h49
[comente] [ link ]

21.01.09

Virada do ano foi promissora para obras teóricas sobre quadrinhos

 

Crédito: reprodução

 

 

 

 

Capa de "A Magia dos Quadrinhos", um dos sete livros sobre quadrinhos que começaram a ser vendidos nas livrarias entre 2008 e 2009

 

 

 

 

 

Coincidência ou não, houve uma concentração de obras teóricas sobre quadrinhos entre o fim de 2008 e o início deste 2009.

Pelo menos sete delas começaram a ser vendidas nas livrarias na virada de ano. Cinco são inéditas. As outras duas, novas versões de antigas obras.

Nesta e nas próximas duas postagens, o blog vai noticiar cada um dos livros.

A série vai seguir uma linha cronológica. Esta, que dá início ao trio de postagens, mostra as obras que chegaram ao mercado no fim do ano passado. 

                                                            ***

"A Magia dos Quadrinhos" (Edições Bagaço, 376 págs., R$ 35) é uma obra que relembra a evolução dos primeiros quadrinhos publicados no Brasil, com particular interesse pelos norte-americanos.

O autor - o médico e colecionador Rostand Paraíso - se declara um apaixonado por quadrinhos e o livro seria um forma de débito "pelo que eles me proporcionaram".

O detalhamento da descrição evidencia mesmo um trabalho de fã. Parte das pesquisas se pautou em obras já existentes, parte em material próprio.

O relato histórico começa com a extinta revista "O Tico-Tico", que começou a ser publicada em 1905, e se centra principalmente na primeira metade do século passado.

                                                             ***

Há um motivo para Paraíso se fixar nesse período. Ele defende a tese de que os quadrinhos atuais estão em decadência.

A Europa ainda teria redutos de qualidade, tanto nos desenhos quanto no texto.

A queda, na leitura dele, teria início após a Segunda Guerra Mundial. Os super-heróis teriam perdido a graça por terem superpoderes que os tornam invencíveis.

"O aparecimento dos mangás japoneses, com suas figuras geradas, em grande parte, por computador, parece em nada ter contribuído para modificar a decadência sentida no setor."

                                                           ***

"Batman e a Filosofia - O Cavaleiro das Trevas da Alma" (Madras, 256 págs., R$ 34,90) é uma coletânea de artigos sobre o herói da editora norte-americana DC Comics.

A obra foi produzida pelos pesquisadores estadunidenses Mark D. White e Robert Arp. White assina um dos 20 capítulos do livro, divididos em seis partes. 

O conteúdo se debruça sobre as características do personagem de Gotham City.

Discute-se, por exemplo, por que o herói não mata o vilão Coringa, o papel ético de Batman e paralelos do personagem com ideias de Wittgenstein, Kierkegaard, Aristóteles e Kant.

 

Crédito: reprodução

 

 

 

 

 

 

 

"Nossos Deuses São Super-Heróis" busca mitos que influenciaram na produção dos super-heróis norte-americanos

 

 

 

 

 

 

 

"Nossos Deuses São Super-Heróis - A História Secreta dos Super-Heróis das Histórias em Quadrinhos" (Cultrix, 248 págs., R$ 29,90) é outra obra traduzida do inglês que dialoga com elementos da filosofia.

O autor, Christopher Knowles, se aprofunda sobre um tema recorrente: as influências míticas presentes nas histórias de super-heróis. A própria capa inicia as comparações reproduzindo, com heróis, quadro sobre a Santa Ceia.

Nos 23 capítulos, Knowles vê diálogos com as culturas greco-romanas, com a maçonaria, com a literatura, com a magia, com a ciência, para ficar em alguns exemplos.

Embora haja uma conclusão no final, cada capítulo exerce o papel de um pequeno ensaio autônomo, exemplificado por um ou mais heróis dos quadrinhos norte-americanos.

                                                            ***

"Traços Ideogramáticos na Linguagem dos Animês" (Via Lettera, 160 págs., R$ 37) é a versão em livro do doutorado de Patrícia Borges realizado na área de Comunicação e Semiótica da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo). 

O livro mostra como se dá a presença de elementos do cineasta russo Sergei Eisenstein (1898-1948) nos animês - principalmente - e nos mangás, os quadrinhos japoneses.

A teoria desenvolvida na obra - chamada de Teoria da Montagem -, em linhas bem gerais, divide as animações em quadros e os compara em sequência.

O método é aplicado nas animações "A Princesa e o Cavaleiro", "Gundam Wing", "Ranma 1/2", "Os Cavaleiros do Zodíaco", "Neon Genesis Evangelion" e "A Viagem de Chihiro".

                                                            ***

Próxima postagem da série: duas antigas obras sobre quadrinhos ganham novas edições.

Escrito por PAULO RAMOS às 21h41
[comente] [ link ]

20.01.09

Dr. Pepper vence categoria de quadrinhos do Best Blogs Brazil

 

Não sabe do que se trata a série de tiras "Dr. Pepper"? O doutor explica:

 

Fonte: http://www.drpepper.com.br/

 

É desse jeito irônico que a série foi escolhida como o melhor blog de quadrinhos do Best Blog Brazil na votação dos leitores.

O prêmio foi divulgado no último sábado no site da premiação.

A tira é feita por Daniel M. Thomazelli e se baseia no humor politicamente incorreto.

Logo na primeira página, há um alerta: "se você gosta de piadas de mau gosto, entre".

 

Fonte: http://www.drpepper.com.br/

 

O Best Blogs Brazil - ou BBB, como é chamado na blogosfera - destacou neste ano 30 categorias de blogs. A premiação é dividida em duas etapas.

A primeira é feita pelo público. Dr. Pepper teve o maior número de votos, 831, 29% do total.

A segunda premiação do Best Blogs Brazil é feita pelo júri.

Os nomes serão divulgados no próximo sábado, às 20h, no Campus Party Brasil, evento de tecnologia que ocorre até o próximo domingo no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo (rodovia dos Imigrantes, km 1,5).

                                                             ***

A categoria quadrinhos do Best Blogs Brazil vale tanto para blogs de quadrinhos quanto para blogs sobre quadrinhos.

Veja - e, se quiser, visite - os dez selecionados (sigo a mesma ordem da premiação):

  • Dr. Pepper - Link
  • Melhores do Mundo - Link
  • Bichinhos de Jardim - Link
  • Irmãos Brain - Link
  • Depósito do Calvin - Link
  • Cyanide & Happiness Traduzidos - Link
  • Malvados - Link
  • Wagner & Beethoven - Link
  • Vertigem - Link
  • Unidade Avançada - Link

Escrito por PAULO RAMOS às 17h42
[comente] [ link ]

19.01.09

Autores de História do Brasil em HQ fazem bate-papos com leitores

 

Fonte: Europanet

Os autores de "História do Brasil em Quadrinhos" (capa ao lado) fazem nesta semana três bate-papos com leitores.

Todos serão em unidades paulistanas da Livraria Cultura, sempre a partir das 18h.

Na terça, será na loja do Shopping Market Place (av. Dr. Chucri Zaidan, 902).

Na quinta, na do Shopping Bourbon Pompeia (r. Turiassu, 2.100).

Na sexta, na unidade do Shopping Villa-Lobos (av. nações Unidas, 4.777).

O trabalho da Editora Europa foi produzido pelo grupo da revista "Mundo dos Super-Heróis".

A obra foi lançada em novembro do ano passado. Leia mais aqui.

 

Escrito por PAULO RAMOS às 17h45
[comente] [ link ]

18.01.09

Quarto Mundo é homenageado em mais um prêmio de quadrinhos

 

Crédito das fotos: Monique Penteado

 

O Quarto Mundo - selo independente que reúne autores de diferentes partes do país - vai ser um dos homenageados do Prêmio Angelo Agostini, dedicado à área de quadrinhos.

O grupo foi indicado para o troféu Jayme Cortez, categoria que destaca quem tenha incentivado a área durante o ano de 2008.

Os autores independentes já haviam sido homeageados de forma semelhante no último Troféu HQMix, outra premiação de quadrinhos do país.

É da cerimônia de entrega, em julho, a foto que abre esta postagem.

                                                            ***

Os vencedores desta 25ª edição do Angelo Agostini foram divulgados nesta última semana pelo site "Bigorna", que apoia o evento. Veja os outros premiados:

  • Desenhista - Laudo Ferreira Júnior
  • Roteirista - Daniel Esteves
  • Cartunista - Marcio Baraldi
  • Lançamento - "Menina Infinito", de Fábio Lyra
  • Fanzine - "Quadrinhos Independentes", de Edgard Guimarães
  • Mestres do Quadrinho Nacional: Emir Ribeiro, Deodato Filho, Mozart Couto, Sebastião Seabra, Sergio Morettini e Watson Portela

Laudo já havia vencido o prêmio na mesma categoria em 2008. Marcio Baraldi ganha como melhor cartunista pela terceira vez seguida.

                                                            ***

O prêmio é dado pela AQC, Associação dos Quadrinistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo.

A votação é aberta. O processo de escolha teve início novembro passado.

Segundo o site "Bigorna", a festa de entrega dos troféus será no dia 14 de fevereiro, a partir das 13h, no Senac Consolação, em São Paulo.

Escrito por PAULO RAMOS às 17h38
[comente] [ link ]

15.01.09

Novo número da Mad satiriza mangás

 

Crédito: divulgação

 

A imagem acima é a capa aberta do décimo número da revista de humor "Mad", que começou a ser vendida nas bancas nesta quinta-feira (Panini, 44 págs., R$ 6,50).

Como as legendas e os desenhos da capa já indicam, o alvo das sátiras dessa edição são os mangás e seus personagens. Boa parte das histórias da revista se dedica ao tema.

A leitura, por exemplo, é feita da direita para a esquerda, como ocorre com os mangás, nome dado aos quadrinhos japoneses.

                                                           ***

A maior parte dos quadrinhos é feita por autores brasileiros, como tem ocorrido nas últimas edições. Uma das brincadeiras é com relação a personalidades brasileiras.

Como elas seriam em versões mangá?

O ex-governador Paulo Maluf e Dunga, técnico da seleção, são duas das vítimas da gozação.

                                                           ***

Aos poucos, a "Mad" vai ganhando uma cara própria.

Embora seja uma publicação norte-americana e tenha parte do conteúdo feita nos Estados Unidos, ela tem aberto muito espaço à produção nacional.

Marcatti (da adaptação em quadrinhos de "A Relíquia") e o polêmico chargista Carlos Latuff são dois dos autores que têm traballhos nessa edição.

Escrito por PAULO RAMOS às 18h35
[comente] [ link ]

Overdose: primeiro lançamento independente do ano

 

Fonte: Mondo Urbano

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Capa da revista, que tem lançamento na sexta-feira à noite, em São Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

Uma obra feita a seis mãos é a primeira novidade independente nacional neste início de 2009. A revista "Overdose" (R$ 5) tem lançamento nesta sexta-feira à noite, em São Paulo.

O trabalho é produzido pelo trio Mateus Santolouco, Rafael Albuquerque e Eduardo Medeiros. São os mesmos autores da revista "Power Trio", publicada no ano passado.

Segundo os quadrinistas informam no blog dedicado à publicação, trata-se do segundo número de uma trilogia, intitulada "Mondo Urbano".

                                                           ***

O lançamento de "Overdose" integra uma ciclo de palestras, oficinas e bate-papos realizado na Quanta Aacademia, na capital paulista.

A programação inicia hoje e se encerra amanhã, sempre à noite.

Os autores disponibilizaram uma prévia da revista no blog do grupo. Pode ser lida aqui.

                                                           ***

Serviço - Lançamento da revista "Overdose". Quando: sexta-feira (16.01). Horário: a partir das 19h. Onde: Quanta Academia de Artes. Endereço: rua Dr, José de Queirós Aranha, 246, Vila Mariana, São Paulo. Quanto: R$ 5.

Escrito por PAULO RAMOS às 18h16
[comente] [ link ]

14.01.09

Lançado quarto número de Fábulas Pixel

 

Crédito: reprodução

 

 

 

 

 

 

 

 

Revista chega ao leitor com dois meses de atraso; publicação da editora Pixel deveria ser mensal

 

 

 

 

 

 

 

 

Começou a ser vendido nesta semana, sem muito alarde, o quarto número de "Fábulas Pixel" (Pixel, 100 págs., R$ 10,90). A revista, que deveria ser mensal, é lançada com dois meses de atraso.

Do ponto de vista do leitor, a demora é, curiosamente, o menor dos problemas. Não havia até agora a confirmação de que a obra seria publicada.

Em dezembro, o editor-chefe da Pixel, Cassius Medauar, anunciou sua saída da editora.

Medauar alegou que a Ediouro - dona do selo editorial Pixel - teria adotado outros rumos e que ele não havia mais se encaixado nos rumos da empresa.

                                                           ***

A saída de Medauar e a falta de notícias por parte da Ediouro geraram um vácuo informacional. Não se sabia que mudanças a editora iria adotar.

Neste início de mês, a empresa emitiu uma carta aos leitores dizendo que as mudanças seriam apenas de ordem administrativa e que os lançamentos continuariam.

À imprensa a Ediouro ainda não se pronunciou. A primeira novidade desde então é este quarto número de "Fábulas Pixel".

Os demais números do título também foram lançados com atraso.

                                                           ***

O quarto número da revista marca a volta da série "Promethea", escrita pelo inglês Alan Moore, autor das minisséries "Watchmen" e "V de Vingança".

A história corresponde ao número 13 do título norte-americano, ponto onde havia parado.

A primeira dúzia de histórias foi lançada na revista "Pixel Magazine" e, depois, reunida num encadernado.

"Fábulas Pixel" traz também aventuras das séries "Sandman Apresenta", "Astro City" e "Fábulas", carro-chefe do título.

Escrito por PAULO RAMOS às 18h33
[comente] [ link ]

Bons tempos para (re)ler obra de Joe Sacco

 

Crédito: reproduçãoCrédito: reprodução

 

Lembram-me por e-mail: boa hora para (re)ler as reportagens em quadrinhos de Joe Sacco sobre a situação palestina.

Os relatos do jornalista são mostrados nos livros "Palestina: Uma Nação Ocupada" e "Palestina: na Faixa de Gaza", capas reproduzidas acima. As duas obras são da Conrad.

Escrito por PAULO RAMOS às 11h45
[comente] [ link ]

11.01.09

Fuvest e Unicamp usam tiras em questões do vestibular 2009

Duas histórias em quadrinhos foram usadas na prova de língua portuguesa do vestibular da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), realizada na tarde deste domingo.

Uma era uma tira do personagem Chico Bento, de Mauricio de Sousa. 

A outra era de Calvin e Haroldo, série criada pelo norte-americano Bill Watterson.

                                                           ***

A Unicamp tem usado tiras em seu vestibular desde 1990. Mas nunca duas de uma vez só.

O uso de quadrinhos corresponde a um sexto da prova, que tem 12 questões dissertativas.

Há uma semana, a Fuvest - que seleciona alunos para a Universidade de São Paulo -, também havia usado uma tira de Mafalda, do argentino Quino.

Fuvest e Unicamp são considerados os principais vestibulares do país.

 

Tira do vestibular da Unicamp

 

A tira cômica de Chico Bento - reproduzida acima - foi usada pela Unicamp como base para que os candidatos explicassem as características da fala de cada um dos personagens.

A questão pedia também que o vestibulando respondesse e justificasse se esse modo de falar era exclusivo do homem rural brasileiro.

 

Tiras do vestibular da Unicamp                        

 

No caso de Calvin e Haroldo, os organizadores da prova reproduziram duas versões de uma mesma tira. A primeira traz uma tradução portuguesa. A segunda, uma versão brasileira.

Pede-se: 1) uma diferença sintática entre as duas traduções; 2) que se explique a diferença entre os verbos "ter" e "haver" na segunda tira.

 

Tira do vestibular da Fuvest

 

Com a tira de Mafalda, reproduzida acima, a Fuvest quebra uma resistência de mais de uma década no uso de quadrinhos em seu vestibular. A última experiência tinha sido em 1997.

Na prova de língua portuguesa, realizada no domingo passado, os organizadores diziam que o sentido da tira se baseava em polissemia (mais de um sentido possível de um mesmo termo). Pedia-se para identificar e explicar essa polissemia.

A segunda parte da questão propunha que o candidato justificasse se concordava com a premissa de que a história era não só humorística mas crítica também.

                                                            ***

Assim como a Fuvest e a Unicamp, o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), elaborado pelo governo federal, tem usado tiras e charges em questões, inclusive na prova de 2008.

Podem-se perceber algumas tendências nesse uso:

  • ocorre uma predileção pelo uso de tiras cômicas nos testes; isso se dá, possivelmente, por economia de espaço e pelo fato de serem publicadas em jornais, principal fonte de circulação delas e mais próxima do meio acadêmico;
  • prefere-se o uso do termo "tirinha", e não de "tira" ou "tira cômica"; isso sugere uma não-familiaridade dos organizadores dos testes sobre a características dos diferentes gêneros dos quadrinhos; na falta de nome mais preciso, usa-se "tirinha";
  • o uso nos vestibulares se enquadra numa nova - porém tardia - visão que circula no meio educacional brasileiro que enxerga os quadrinhos como uma forma de leitura, a exemplo de vários outros gêneros midiáticos;
  • a presença de quadrinhos nos exames vestibulares implica também a inserção de seus diferentes gêneros - e não apenas as tiras - nos ensinos médio e fundamental. 

A vida prática mostra que muitos professores ainda demonstram resistência aos quadrinhos ou desconhecimento sobre a linguagem e os recursos deles no uso em sala de aula.

Mas, no geral, é algo positivo o que se vê neste início de 2009.

Escrito por PAULO RAMOS às 23h10
[comente] [ link ]

09.01.09

Uma charge vale mais do que mil palavras

Charge de Gilberto Maringoni

A charge, até então, circulava apenas por e-mail.

Reproduzo com permissão do autor, o desenhista e professor Gilberto Maringoni.

Escrito por PAULO RAMOS às 23h58
[comente] [ link ]

08.01.09

Cinema segue em 2009 tendência de adaptar quadrinhos

 

Fonte: Mais.UOL

 

 

 

Cena de "X-Men - Origens: Wolverine", um dos filmes com estreia programada para este ano

 

 

 

Os produtores de cinema norte-americanos repetem neste 2009 a mesma tendência vista nos anos anteriores, a de levar para a tela grande versões em carne e osso de personagens dos quadrinhos.

Há pelo menos três longas confirmados: "The Spirit - O Filme", "Watchmen - O Filme" e "X-Men - Origens: Wolverine".

Se não houver mudanças na programação, estreiam no Brasil, respectivamente, em 6 de fevereiro, 6 de março e no feriado de 1º de maio.

E o mesmo deve ocorrer nos próximos anos. Já há em vista sequências de Batman, Super-Homem, Homem de Ferro, Homem-Aranha. Para ficar em quatro casos.

                                                           ***

Editoras nacionais já pautam lançamentos para aproveitar a repercussão dos longas.

A Aleph programa para o mês que vem o livro "Os Bastidores de Watchmen". A Panini, mais uma reedição da minissérie escrita por Alan Moore e desenhada por Dave Gibbons.

A Panini também pretende lançar um encadernado com histórias recentes de Spirit feitas por Mark Evanier e Sergio Aragonés. São os mesmos autores da série cômica Groo.

                                                           ***

Outras editoras se pautam na mesma fonte, mas em via contrária: publicam álbuns em quadrinhos de produções estritamente cinematográficas.

A Devir pretende pôr no mercado mais três álbuns da franquia Jornada nas Estrelas. O primeiro - "Jornada nas Estrelas - Klingons: Herança de Sangue" - foi lançado em novembro.

A obra recontava momentos marcantes da série sob o ponto de vista dos vilões, os Klingons.

O novo filme inspirado no seriado de TV criado Gene Roddenberry (1921-1991) estreia em maio. A direção é de J. J. Abrams, responsável pelas séries "Lost" e "Alias".

                                                           ***

No mês passado, a Conrad antecipou a exibição do longa-metragem sobre Che Guevara com um álbum biográfico dele, produzido na Argentina pouco depois de sua morte.

O filme, de mais de quatro horas de duração, será dividido no Brasil em duas partes: uma em fevereiro, outra em maio. Na Argentina, foi exibido em dezembro, na íntegra.

Também em dezembro, a Pixel havia anunciado uma adaptação de "O Curioso Caso de Benjamin Button", que estreia neste mês nos cinemas brasileiros.

Mas, com as recentes mudanças na editora do grupo Ediouro, o lançamento fica incerto.

                                                           ***

Para encerrar, merece registro o especial com a personagem Aline, que a TV Globo levou ao ar no fim de dezembro. Pode virar série regular neste 2009.

A personagem-título é baseado na tiras cômicas do brasileiro Adão Iturrusgarai.

Escrito por PAULO RAMOS às 21h54
[comente] [ link ]

07.01.09

Jornal do Brasil deixa de publicar tiras cômicas

 

Tira de Malvados, de André Dahmer

 

O "Jornal do Brasil", do Rio de Janeiro, parou de publicar tiras cômicas. 

A última aparição dos quadrinhos foi na edição de 30 de dezembro do ano passado.

A um dos autores o jornal justificou o cancelamento alegando corte de custos.

O jornal carioca mantinha quatro séries: "O Pato", de Ciça, "Malvados", de André Dahmer, "Dom Ináfio", de Ota, e outra produzida por Pedro de Luna.

Três dos trabalhos podem ser lidos nas páginas virtuais dos quadrinistas, nestes links: OtaLuna e Dahmer, autor da tira que abre esta postagem.

Dahmer também veicula tiras no portal G1, que deixou de ter no semestre passado uma editoria dedicada a quadrinhos.

Era o único grande portal brasileiro com uma área voltada exclusivamente ao tema.

Escrito por PAULO RAMOS às 22h45
[comente] [ link ]

06.01.09

Em carta, Pixel diz que mudanças são só administrativas

A Pixel emitiu uma carta em que torna públicos dois pontos: 1) mantém os lançamentos neste novo ano; 2) as mudanças na editora são só de ordem administrativa.

Não menciona quais são os lançamentos nem quando começam a ser vendidos.

O texto - assinado pela editora - circula desde a semana passada no site de relacionamentos Orkut. 

A carta foi reproduzida na íntegra na comunidade "Pixel Media (Oficial)" e em parte na da Ediouro, empresa dona do selo editorial.

                                                            ***

A autoria do texto foi confirmada ao blog, por telefone, por Renata Lino, da Agência Frog, empresa responsável pela parte comunicação virtual da Ediouro.

Ela diz ter sido alertada sobre dúvidas quanto ao futuro da editora ao ler dois tópicos na comunidade da Ediouro: "não parem com a Pixel" e "não parem com Fábulas".

A carta foi feita pela Ediouro após isso. Mas ainda não foi inserida nem no site da editora nem no blog da Pixel, canais oficiais de divulgação da empresa na internet.

                                                            ***

Leia o texto na íntegra, enviado por e-mail ao blog pela Agência Frog:

Comunicado ao leitores da Pixel

Informamos aos leitores que a Pixel Media a partir de 2009, passa a ser um selo da Ediouro Publicações S/A .

O atual momento econômico mundial tem levado as empresas a uma ampla reestruturação, de modo a garantir resultados positivos e sua manutenção enquanto negócio.

Todo trabalho de edição continuará sendo realizado pelo Cassius e sua equipe de forma terceirizada, com o objetivo de garantir a qualidade final dos produtos, por meio da excepcional experiência dessa equipe no desenvolvimento dos produtos PIXEL.

Agradecemos pelo entendimento das ações administrativas em andamento e tranqüilizamos os leitores, uma vez que tais medidas têm por único objetivo garantir a continuidade dos lançamentos da Pixel, com a qualidade de sempre, aprovada reiteradamente por nossos leitores.

No inicio [sic.] de 2009, colocaremos novos produtos à disposição de nossos clientes.

Agradecemos pela compreensão,

Pixel Media

                                                          ***

O Cassius mencionado na carta é Cassius Medauar, ex-editor-chefe da Pixel. 

Ele assina a última postagem do blog da editora, de 11 de dezembro de 2008. No texto, torna pública sua saída da editora, como o blog havia noticiado na ocasião.

"Os rumos tomados começaram a ser bem diferentes dos planos que tínhamos no começo e eu acabei não me encaixando mais nos planos da empresa", diz Medauar, no texto.

Ele afirma ainda que continuará prestando serviços de consultoria à editora.

                                                            ***

O texto de Medauar, em tom de despedida e de agradecimento aos leitores, sugeria uma mudança de rumos editoriais da Pixel, ainda não esclarecida.

A carta emitida pela editora é a primeira manifestação pública do grupo Ediouro sobre o assunto. Mas não responde a todas as questões.

A informação de que a Pixel é um selo da Ediouro não é nova. A empresa detém, hoje, cem por cento da editora. Até então, era mantida em sociedade com André Forastieri, ex-Conrad.

A carta também não diz quando "os novos produtos estarão à disposição de nossos clientes". "Fábulas Pixel", uma das revistas mensais, não saiu em dezembro.

                                                            ***

Surgida em 2006, a editora entrou no mercado com títulos norte-americanos e europeus. O forte, então, era a série Corto Maltese, de Hugo Pratt.

No ano seguinte, a Pixel conseguiu firmar contrato para a publicação dos títulos adultos da ABC, Vertigo (de Sandman) e Wildstorm, selos adultos da norte-americana DC Comics.

Desde então, tem mesclado lançamentos de álbuns e minisséries com títulos mensais.

No ano passado, ganhou o Troféu HQMix - o principal do país na área de quadrinhos - como editora do ano.

                                                           ***

O blog aguarda um contato telefônico da Pixel/Ediouro para ter mais informações sobre as mudanças na editora.

Escrito por PAULO RAMOS às 00h26
[comente] [ link ]

Se a reforma ortográfica é inevitável, que seja então com humor

 

http://www.marlontenorio.blogger.com.br/

 

Este blog passa a adotar a partir de hoje as mudanças da nova Reforma Ortográfica da língua portuguesa.

(Os hífens continuarão sendo um problema)

O cartum acima -feito por Marlon Tenório- é uma forma bem-humorada de marcar a mudança ao leitor.

Escrito por PAULO RAMOS às 19h17
[comente] [ link ]

De volta à ativa

Este blog passou por problemas técnicos do dia 31 de dezembro até esta terça-feira.

O e-mail deste jornalista foi inexplicavelmente cancelado. Isso impediu a atualização.

O mesmo ocorreu com o leitor quando tentava deixar algum comentário. Aparecia na tela a mensagem "erro no sistema".

A equipe do UOL -e eu também- pede desculpas pelo transtorno.

Endereço virtual restabelecido, contatos e mensagens recuperados, vamos, enfim, às notícias deste novo ano.

Ah! E um ótimo 2009 a todos, mesmo que um pouco atrasado.

Escrito por PAULO RAMOS às 19h11
[comente] [ link ]

[ ver mensagens anteriores ]