26.02.10

Panini cancela revista Superman/Batman

 

A Panini cancelou a revista mensal "Superman/Batman". A informação aparece na seção de cartas do número 56 da publicação, que chegou às bancas nesta semana.

A edição deste mês será a última. A editora sinaliza que o fim da revista está ligado às mudanças programadas para os títulos de super-heróis.

Desde o início do mês, a Panini tem registrado em seções de cartas que as revistas passarão por uma "revolução editorial". Só não diz do que se trata.

O blog entrou em contato com a editora no começo do mês. Ainda não houve uma resposta oficial.

 

Escrito por PAULO RAMOS às 14h07
[comente] [ link ]

25.02.10

Camiño di Rato e Necronauta em São Paulo

Registros rápidos.

Danilo Beyruth faz mais uma sessão de autógrafos do álbum "Necronauta", da HQM, nesta sexta-feira, às 19h30, na HQMix Livraria à noite em São Paulo.

No mesmo local e horário, mas no sábado, os autores da "Camiño di Rato" autografam o terceiro número da revista independente.

A HQMix Livraria fica na Praça Roosevelt, 142, no centro de São Paulo.

Escrito por PAULO RAMOS às 19h53
[comente] [ link ]

24.02.10

Mais uma revista aproveita onda do estilo mangá

Começou a ser vendida nas bancas nesta semana mais uma revista que aproveita a fórmula do "em estilo mangá".

A bola da vez é Didi, personagem popularizado pelo comediante Renato Aragão.

"Didi e Lili" (Escala, 68 págs., R$ 4,90) segue o molde dos dois outros títulos em que se espelhou, "Turma da Mônica Jovem", lançado em 2008, e "Luluzinha Teen", no ano passado. O formato é o mesmo.

As histórias são voltadas ao leitor mais jovem. A revista não informa a periodicidade.

                                                           ***

Comentário: a fórmula é bem sucedida e era de se esperar outras crias.

Não é a primeira vez que isso ocorre no mercado editorial brasileiro.

Mas os responsáveis pela revista poderiam fazer um texto melhor na página de apresentação, primeiro contato do leitor com a obra.

Didi justifica por que virou mangá. A leitura e os motivos apresentados são constrangedores.

Escrito por PAULO RAMOS às 21h18
[comente] [ link ]

23.02.10

Angelo Agostini: cerimônia de premiação no sábado

A entrega dos troféus aos vencedores do 26º Prêmio Angelo Agostini será no próximo sábado à tarde, em São Paulo. A cerimônia terá também um debate e exibição de filme.

A programação começa às 13h com a exibição de "Deu no New York Times", de Henfil. Na sequência, às 14h30, vai haver um debate sobre a divulgação dos quadrinhos na internet.

A entrega dos prêmios está marcada para as 16h. Neste ano, os vencedores foram Adauto Silva (desenhista), Laudo Ferreira Jr. (desenhista) e Sivalnildo Sill (cartunista).

O melhor lançamento foi para "Roko-Loko - Hey Ho, Let´s Go!", de Marcio Baraldi, e o de melhor fanzine para "QI", de Edgard Guimarães. O troféu vai homenagear José Salles, Franco de Rosa, Henrique Magalhães e Rodval Mathias.

                                                          ***

Serviço - Cerimônia de entrega do Troféu Angelo Agostini. Quando: sábado (27.02). Horário: a partir das 13h. Onde: Senac Lapa Faustolo. Endereço: rua Faustolo, 1347, em São Paulo. Quanto: de graça.

                                               ***

Post postagem (24.02, às 21h41): apenas uma correção. Laudo Ferreira Jr. venceu como melhor roteirista, e não desenhista, como informo na postagem.

Escrito por PAULO RAMOS às 18h36
[comente] [ link ]

18.02.10

Registros rápidos

Nada ainda
A Panini mantém os editores sob sigilo sobre a "revolução editorial" em suas revistas, anunciada na seção de cartas da edição deste mês de "Superman", como o blog noticiou no último dia 7. O texto dizia que iria mudar o modo como os títulos são consumidos hoje.

Gibi contra o câncer
A arrecadação da revista "Conthq" será revertida a instituições de combate ao câncer. A publicação traz cinco histórias em quadrinhos e é vendida a R$ 3. Contato pelo e-mail smeditora@yahoo.com.br

Voa, Passarinho
"Hector & Afonso - Os Passarinhos" voa do Rio de Janeiro para São Paulo, onde terá lançamento no próximo sábado, a partir das 17h (na Quanta Academia, Rua Dr. José de Queirós Aranha, 246). As tiras de Estevão Ribeiro marcam a estreia da Balão Editorial.

Super-herói nacional
Começou a circular o quarto número de "Tormenta", da Júpiter II. A editora, mantida pelo roteirista e editor José Salles, mantém um catálogo exclusiva de personagens brasileiros.

Top! Top!
O 26º número de "Top! Top!" é dedicado à trajetória do editor Edgard Guimarães. O fanzine pode ser comprado via site da Marca de Fantasia, que edita a obra. "Top! Top!" foi um dos selecionados neste ano do Festival de Quadrinhos de Angouleme, na França.  

Salão de humor
O Salão de Humor de Cerquilho, no interior paulista, começou o processo de inscrições. A entrega dos desenhos vai até o dia 27. Detalhes neste link. O evento está na nona edição. 

Quadrinhos em debate
Começa no próximo sábado, em São Paulo, uma semana de palestras sobre quadrinhos. A lista inclui os desenhistas Renato Guedes, Ivan Reis e Marcelo Campos, os pesquisadores Gazy Andraus e Patrícia Borges e a roteirista Marcela Godoy. Local e programação aqui.

Escrito por PAULO RAMOS às 12h17
[comente] [ link ]

16.02.10

Revista argentina publica coleção de Corto Maltese

 

Coleção de livros de Corto Maltese. Crédito: divulgação

 

Os argentinos encontram desde janeiro nos "kioscos" - nome das bancas de lá - livros com histórias de Corto Maltese, aventureiro criado em 1967 pelo italiano Hugo Pratt (1927-1995).

A coleção terá ao todo 13 volumes. Os quatro primeiros já foram lançados. A obra é vendida aos sábados junto com a revista "Ñ", publicação voltada para a área cultural.

"Ñ" é editada pelo mesmo grupo do jornal "Clarín", que tem um histórico de coleções de quadrinhos. A mais recente teve início em janeiro, com histórias do Homem-Aranha.

Os livros com Corto Maltese serão publicados até 17 de abril. A trama do último volume, "Tango", foi ambientada em Buenos Aires, onde Pratt viveu nas décadas de 1950 e 60.

Escrito por PAULO RAMOS às 21h59
[comente] [ link ]

15.02.10

João Montanaro prepara livro em quadrinhos

 

Doubli, de João Montanaro. Crédito: reprodução do blog do autor

 

Este ano tem sido generoso com João Montanaro. Em janeiro, estreou na "Folhinha", caderno infantil da "Folha de S.Paulo". Agora, o desenhista de 13 anos prepara um livro.

Ele tornou pública a obra no site de relacionamentos Twitter. Montanaro escreveu que "o livro vai ter muita coisa inédita como desenhos esboços e tiras!".

Não consta nos 140 do Twitter, mas o projeto será publicado pela Garimpo Editorial. A programação é pôr a obra à venda ainda neste semestre.

Leia mais sobre a estreia de João Montanaro na "Folha de S.Paulo" na postagem de 02.01. Saiba mais sobre a trajetória dele na matéria do blog de 23.04.09.

Escrito por PAULO RAMOS às 11h28
[comente] [ link ]

12.02.10

MSP 2010: desenhos, reedições e Chico Bento jovem

 

* Animações são estratégia para internacionalização dos personagens de Mauricio
* Empresário estuda animação da Turma da Mônica Jovem com tecnologia de "Avatar"
* Turma do Penadinho em 3D estreia até o fim do ano em "emissora forte"
* Revistal mensal com Chico Bento aos 15 anos sai no segundo semestre
* Coleção de luxo vai reeditar histórias de Horácio
* Panini vai relançar Pelezinho; L&PM publicará pockets com Os Sousa e Nicodemo

 

Turma do Penadinho em 3D. Crédito: divulgação

 

Mauricio de Sousa viu nesta semana como ficou o primeiro episódio da animação em 3D da "Turma do Penadinho". "Ficou lindo!". A imagem acima dá uma ideia de como ficou.

A série terá 22 episódios, de 11 minutos cada um. A estreia está programada para o segundo semestre. Inicialmente, seria exibida pela TV Cultura. Mas houve uma mudança.

O desenhista e empresário quer uma rede forte, como ele diz, algo como Globo ou Record. Nada definido ainda, segundo ele.

A animação é parte de um projeto de internacionalização das criações dele. O projeto busca inserir os desenhos em emissoras de TV, vistas como uma estratégica porta de entrada.

                                                         ***

"Hoje, a televisão é mais interessante para nós, porque gera revistas, produtos etc.", diz Mauricio. Ainda há poucas animações. A proposta é aumentar a produção.

"Eu acho que daqui a um ano, um ano e meio, vamos poder atacar de forma maciça." Nos quadrinhos, o ataque dos personagens dele, hoje, já chega a 50 países.

As séries terão como vizinhos os filmes. Um deles, também em 3D, está em processo de planejamento. Vai dar movimento a Horácio, personagem que Mauricio ainda desenha.

"O Horácio é um personagem especial porque o pessoal do estúdio não estava pegando o jeito de como fazer. Eu estou meio escravo dele. De vez em quando, alguém pega [o personagem], chuta e acerta. Mas tem sido raro."

 

Horácio. Crédito: divulgação

 

O dinossauro verde está nos planos impressos também. As histórias do personagem serão relançadas em uma coleção de livros, produzidos com capa dura. A lida acima mostra a estreia dele.

A coleção deverá ter 18 livros. O primeiro sai neste ano. Os editores sugeriram que saísse um volume a cada seis meses. "Se eles me dizem que é semestral, vai ser trimestral."

Mauricio demonstra ter pressa na concretização dos projetos. A cobrança por agilidade foi demonstrada mais de uma vez nos 24 minutos da conversa telefônica feita com ele.

Pergunto por quê. "A vida é curta. Você não sabe o dia de amanhã. Eu quero tudo hoje."

                                                         ***

A menção à velocidade apareceu também na explicação de um outro projeto, que envolve a produção de histórias de seus personagens por desenhistas conhecidos.

"Vamos fazer a coisa mais ágil, mais jornalística. Quero fazer as pessoas trabalharem mais rápido."

Segundo Mauricio, o grupo editorial ainda está pensando o jeito como isso será feito. Por ora, sabe apenas que quer que as narrativas sejam criadas em prazos menores.

A ideia parece ter se espelhado no álbum "MSP 50 - Mauricio de Sousa por 50 Artistas", lançado em 2009 em comemoração aos 50 anos de carreira. Há uma sequência, "MSP + 50", programada para este ano.

 

Turma da Mônica Jovem 18. Crédito: reprodução 

 

 

 

 

 

 

Capa da edição de janeiro de "Turma da Mônica Jovem", revista que vende quase o dobro de "Mônica" 

 

 

 

 

 

 

 

Nascido em Santa Isabel, no interior paulista, em 1935, Mauricio de Sousa é o epicentro de um afinado maquinário empresarial, que envolve os quadrinhos e os mais variados produtos derivados dos personagens.

Ele demostra ser uma mescla de empresário - lado dele pouco lembrado - e criador. Tem domínio de todos os projetos. Durante a entrevista, consultou seu staff apenas para detalhes. 

Detalhou sem necessidade dos assessores como irá ficar o caipira Chico Bento na versão adolescente, ideia ancorada na revista "Turma da Mônica Jovem".

Segundo Mauricio, será uma revista mensal, programada para outubro. "Mas não tem mangá. Vai ser um pouquinho mais clássica, com uma forte mensagem ecológica".

                                                          ***

Chico Bento terá 15 anos. Estará na roça, como sua versão infantil, que continuará sendo produzida. As preocupações, no entanto, serão outras, como emprego.

O projeto surge em meio a números convidativos. A revista "Turma da Mônica Jovem" vende, hoje, mais do que um exemplar dos títulos tradicionais.

Segundo Mauricio, os personagens adolescentes vendem de 300 a 400 mil exemplares por mês. Uma revista como "Mônica" ou "Cebolinha", 200 mil cada uma.

O primeiro número da trupe jovem está na sétima reimpressão. Já está em pauta lançar, pela Panini, uma caixa com as edições iniciais. O número mais recente é o 18, de janeiro.

                                                         ***

O grupo empresarial de Mauricio de Sousa já iniciou a franquia de produtos com os personagens adolescentes, mesmo caminho percorrido pelas versões infantis.

A Turma da Mônica jovem também está nos planos de ser levada para a TV. A dúvida é sobre o formato, ainda uma "grande incógnita", segundo Mauricio.

De início, seria uma animação para o canal pago Cartoon Network. Depois, a Digital 21, coprodutora da animação da Turma do Penadinho e do longa de Horácio, se interessou.

A Digital 21 trabalharia com a tecnologia usada no fime "Avatar", que mescla animação com movimentos reais. Há também a possibilidade de uma versão com atores. Para qual das três pende mais, pergunto. "Eu acho que vamos para o 'Avatar'."

 

Pelezinho. Crédito: reprodução 

 

A parceria com a multinacional Panini acentuou os projetos especiais. Mauricio de Sousa começou a publicar na nova casa editorial em janeiro de 2007.

"O saldo é altamente positivo. A Panini, por ser uma editora de quadrinhos, sem desmerecer as outras, permite manter uma estratégia muito mais ágil e ambiciosa."

Novamente a menção à agilidade. Para o empresário, é possível ter um retorno mais rápido sobre o andamento dos produtos, sem que estes dividam espaço com as revistas.

Na Abril, onde ficou de 1970 a 1986, e na Globo, de 1987 a 2006, a Turma da Mônica tinham de dividir espaço com as demais revistas jornalísticas e de entretenimento.

                                                         ***

Parte da estratégia "ambiciosa" de que Mauricio fala é centrada em relançamentos, alguns para o leitor adulto, que cresceu lendo as histórias da Turma da Mônica.

Publicou pela Panini coletâneas das tiras, das primeiras revistas e planeja, agora, o retorno de Pelezinho, personagem inspirado no jogador Pelé.

Será uma reedição das histórias, publicadas em revista própria entre agosto de 1977 e maio de 1982. O título teve 58 números. As novas revistas serão almanaques.

Mauricio diz que falta apenas acertar um detalhe com o grupo de Pelé. Quer que chegue às bancas antes da Copa do Mundo da África do Sul, que terá início em junho.

 

 

A única experiência que não funcionou, pelo menos na Panini, foram os livros de bolso com reedições de tiras. A editora publicou cinco, sem que tivessem sequência.

Esse filão é dominado pela L&PM. E foi para lá que Mauricio passou a hospedar suas séries. Os dois primeiros pockets, um com tiras de Mônica e outro de Cebolinha, saíram em 2009.

Foram 5 mil exemplares. Esgotaram, segundo Mauricio. Para este ano, a editora gaúcha vai publicar volumes com outros personagens: Bidu, Nicodemo, Os Sousa.

Os dois últimos são séries que fogem ao estilo das demais. Nicodemo traz um humor mais negro. Os Sousa mostra o convívio de uma família e é direcionada ao leitor adulto.

Escrito por PAULO RAMOS às 10h56
[comente] [ link ]

11.02.10

Edital no ES restringe publicação de quadrinhos a romance gráfico 

O governo do Espírito Santo publicou nesta semana um edital que prevê a publicação de três obras em quadrinhos. As regras limitam os projetos aos  romances gráficos.

Segundo o texto do edital, quadrinhos "corresponde a um romance gráfico cuja história é contada através de arte sequencial e a duração é similar à da prosa (romance ou novela)".

Outro trecho do documento também bebe da fonte literária. Um dos critérios de seleção dos projetos é "coerência com o gênero literário". Os outros dois são originalidade e qualidade.

Os autores têm de inscrever uma história impressa e inédita. O quadrinista também tem de entregar 30 páginas da narrativa. As propostas serão aceitas até o dia 26 de março.

                                                         ***

Podem participar autores maiores de idade e que morem há pelo menos dois anos no Espírito Santo. O edital prevê verba de R$ 5 mil para cada um dos projetos selecionados.

A proposta é publicar 500 exemplares. O autor fica com 50 cópias. Além disso, cede os direitos da obra por um período de dois anos.

A comissão julgadora será composta pelo artista plástico e designer Jean Carlos Ribeiro e pelos quadrinistas Allan Sieber e Klebs Júnior.

O edital completo - o número é 008/2010 - pode ser lido na página da Secult (Secretaria de Estado da Cultura). O texto traz os detalhes sobre documentação e onde se inscrever.

Escrito por PAULO RAMOS às 23h21
[comente] [ link ]

09.02.10

Autores finalizam adaptação de Memórias Póstumas

 

Adaptações machadianas - 1

 

Página de Memórias Póstumas de Brás Cubas

 

 

 

 

 

 

 

Página do álbum machadiano, escrito por Wellington Srbek e desenhado por J. B. Melado 

 

 

 

 

 

 

 

Esta reportagem virtual deveria abrir com o fato mais quente. Suposto o uso vulgar seja começar pelo início, duas considerações levaram a adotar diferente método.

A primeira é que o caso já é de conhecimento da comunidade virtual. A segunda é que tornaria o texto talvez não mais galante, mas seguramente menos óbvio.

A intertextualidade lida aqui será usada também no diálogo entre original e adaptação no álbum que levará para os quadrinhos o romance "Memórias Póstumas de Brás Cubas".

Publicado em 1880 em capítulos e, um ano depois, em livro, a obra de Machado de Assis (1839-1908) teve roteiro de Wellington Srbek e desenhos de J. B. Melado.

                                                         ***

O desenhista concluía em janeiro as cores da adaptação. Alguns ajustes na inserção do texto separavam a entrega da obra à Agir, da Ediouro, que demonstrou interesse no projeto.

Até onde a vista alcança, não há uma data de lançamento. O roteirista acredita que seja neste ano. A Agir tem outra adaptação recebida há quase dois anos e não publicada.

Escritor de "Estórias Gerais", álbum feito em parceria com Flávio Colin (1930-2002), o mineiro Wellington Srbek diz ter finalizado o roteiro em outubro de 2008. 

Começou, então, a produrar editoras. A melhor oferta que recebeu foi da Agir. Segundo ele, a editora pediu apenas um pequeno ajuste no número de páginas. De 80 para 78.

 

Página do roteiro de Wellington Srbek> Crédito: imagem fornecida pelo autor

 

 

 

 

 

 

 

Página do roteiro feito por Wellington Srbek na forma de desenho

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O visual imaginado por J. B. Melado - as iniciais de João Batista - ainda é um mistério. A única que escapou é a do início da postagem, a primeira ser mostrada ao público.

A apresentada nesta matéria é referente à página 10.

O roteiro do escritor, feito na forma de páginas em quadrinhos, ao contrário, é fartamente mostrado no blog de Srbek. Nos esboços, há alguns indícios de como a obra pode ficar.

Ele diz que pretende manter duas das características estilísticas do romance: o diálogo com o leitor e a metalinguagem. Mas, claro, com os recursos da linguagem dos quadrinhos.

                                                         ***

"A metalinguagem, assim como a ironia do texto machadiano, foram elementos que procurei manter e reproduzir no roteiro de quadrinhos", diz Srbek, históriador e doutor em educação.

"Uma das formas que empreguei para alcançar isso foi brincar com a disposição de quadros e em especial com as interferências do Brás narrador no meio da narração."

"Ou seja, como ocorre no livro, às vezes ele surge do nada, entre os quadros para fazer algum comentário, quase sempre irônico."

Brás Cubas inicia a obra machadiana morto em 1869, aos 64 anos. Nos capítulos seguintes, ele rememora com o leitor, seu constante interlocutor, os fatos de sua vida.

                                                          ***

Srbek tem um outro roteiro machadiano, concluído em setembro do ano passado. É uma versão em quadrinhos de "Dom Casmurro", ainda sem editora definida.

"Dom Casmurro" é adaptado por outros dois autores, Mario Cau e Felipe Greco. É o tema da postagem desta quarta, na segunda reportagem da série "adaptações machadianas".

                                                          ***

Post postagem (10.02, à 0h23): Wellington Srbek, a quem agradeço, me alerta que a imagem usada na versão anterior desta postagem não era da obra. A que agora abre a matéria é. A alteração exigiu um ajuste no texto do décimo parágrafo.

Escrito por PAULO RAMOS às 19h46
[comente] [ link ]

Livro brasileiro ensina a desenhar quadrinhos

 

E Espetacular Arte de Desenhar Quadrinhos. Crédito: reprodução do site do autor

 

 

 

 

 

 

 

Obra do quadrinista Lederly Mendonça tem lançamento na próxima quinta-feira em Fortaleza

 

 

 

 

 

 

 

O livro "A Espetacular Arte de Desenhar Quadrinhos" (Editora Senac, 130 págs.) terá lançamento na próxima quinta-feira à noite em Fortaleza (CE).

O trabalho é de Lederly Mendonça, que se desenha nos sete capítulos da obra. Tal qual o norte-americano Scott McCloud, usa a si próprio para explicar os fundamentos da arte.

"Me coloco como personagem e interajo metalinguisticamente com o leitor, abordando os assuntos de forma casual e bem-humorada", diz o quadrinista em sua página virtual.

O livro aborda um aspecto do desenho em cada um dos capítulos: anatomias feminina e masculina, personagens, cenografia, roteiro, quadrinização e ferramentas usadas.

                                                         ***

Este é apenas um dos livros sobre quadrinhos programados para este ano. Leia quais são as outras obras em pauta na postagem de 18 de janeiro.

                                                         ***

Serviço - Lançamento de "A Espetacular Arte de Desenhar Quadrinhos", de Lederly Mendonça. Quando: quinta-feira (11.09). Horário: 19h. Onde: Sesc/Senac Iracema. Endereço: rua Boris, 90, Fortaleza.

Escrito por PAULO RAMOS às 19h03
[comente] [ link ]

08.02.10

Companhia das Letras vai publicar dois álbuns de Luiz Gê

 

Trecho de Avenida Paulista. Crédito: reprodução

 

 

 

 

 

 

Trecho de "Avenida Paulista": história do quadrinista publicada em 1991 vai ser relançada pela editora

 

 

 


A Companhia das Letras fechou acordo com Luiz Gê para publicar dois álbuns do quadrinista. Um será uma reedição de "Avenida Paulista". O outro, a continuação de uma antiga ideia.

O namoro da editora com o autor vem desde os meses finais do ano passado. O acordo foi oficializado neste início de mês.

"Avenida Paulista" havia sido publicada pela primeira vez numa edição especial da "Revista Goodyear", no fim de 1991. Mostra o surgimento da avenida e como ela será no futuro.

A história, de 66 páginas, permeia os fatos com toques fictícios, tanto nos desenhos quanto nos personagens mostrados. Entre as páginas, textos contextualizam a época. A narrativa foi escrita e desenhada por Gê. Os diálogos, a cargo de Geraldo Mayrink. 

                                                         ***

Ainda não há uma data de lançamento. A editora gostaria que fosse ainda em 2010. Tudo vai depender do tempo gasto no processo de reedição.

"Vamos mexer um pouco no livro. Trocar, por exemplo, aqueles blocos de texto ao longo da história por outra coisa", diz André Conti, editor de quadrinhos da Companhia das Letras.

"Ainda não sabemos ao certo, mas uma das ideias é bolar uma vinheta sobre a Paulista que, paralelamente, narre uma outra história sobre a avenida."

"Também vamos colocar um texto novo no fim, colocando um pouco em perspectiva a visão do livro sobre a história da Paulista."

                                            

Trecho de Viagem ao Centro do Universo. Crédito: reprodução

 

 

 

 

 

 

 

Página de abertura de "Viagem ao Centro do Universo", narrativa de 1990 que será transformada em álbum 

 

 

 

 

 

 

"Viagem ao Centro do Universo", na verdade, já existe. É uma história de 12 páginas feita por Gê para o número 23 da revista "Chiclete com Banana", de junho/julho de 1990.

A narrativa mostra a chegada de um especialista, Doutor Spix, ao que seria o centro do universo. A ida dele até o local se deu por um convite da Academia Imperial.

A última página deixa o final em aberto e a intenção de continuar com a história numa publicação da Circo Editorial, responsável pela revista de Angeli.

Uma legenda dizia que "o levantamento sobre os passos seguintes serão publicados a seguir em uma trepidante revista desta editora. Aguardem!". Não teve sequência. Agora terá.

                                                           ***

Depois de 19 anos, Gê quer mostrar quais foram os próximos passos de Spix. A proposta acertada com a Companhia das Letras é produzir um álbum de mais de cem páginas.

A editora planeja pôr a obra à venda no ano que vem. Os dois lançamentos marcam o adiado retorno de Luiz Gê aos quadrinhos autorais.

Chargista e quadrinista desde a década de 1970, ele deixou a área nas duas últimas décadas para se dedicar à universidade. Hoje, dá aulas no Mackenzie, em São Paulo.

O desenhista havia ensaiado uma volta no ano passado, ao lançar uma adaptação do romance "O Guarani", pela editora Ática.

                                                          ***

O autor já sinalizava o desejo de um retorno aos quadrinhos há pelo menos três anos. Leia mais sobre o assunto em entrevista com Luiz Gê na  postagem de 19.04.2007.

Escrito por PAULO RAMOS às 15h44
[comente] [ link ]

07.02.10

Panini anuncia revolução editorial em revistas de super-heróis

 

Superman 87. Crédito: reprodução

 

 

 

 

 

 

 

Informação consta na revista "Superman" deste mês (capa ao lado) e indica mudança na forma como o leitor "consome suas revistas hoje" 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Panini sinaliza que haverá mudanças nas revistas de super-heróis. Ou, nas palavras da editora, vai ocorrer uma "revolução editorial" na forma de acompanhar os títulos.

A informação aparece na seção de cartas da revista "Superman", à venda nas bancas desde o fim da semana. O texto é assinado pelo editor da revista, Bernardo Santana. 

Por enquanto, há o fato, mas não a explicação do que se trata. Diz Santana, no texto:

"Não, sem pistas ainda, curioso leitor, mas pode crer que o que estamos preparando vai mudar a maneira como você consome suas revistas hoje."

                                                         ***

O blog entrou em contato na sexta-feira à noite, por e-mail e via Twitter, com os editores responsáveis pelos títulos da Marvel (de Homem-Aranha) e da DC (de Super-Homem).

Ainda não houve resposta, algo compreensível, posto que estamos no fim de semana. Assim que a editora se manifestar, o blog põe a explicação no ar.

A Panini tem editado as revistas mensais de super-heróis de uma maneira uniforme. Reúne nas cem páginas de cada publicação o equivalente a quatro títulos norte-americanos.

Nos Estados Unidos, as histórias de cada um dos personagens são editadas em revista própria. Com isso, ao invés de poucos títulos, há uma ampla oferta de publicações ao leitor.

Escrito por PAULO RAMOS às 10h27
[comente] [ link ]

05.02.10

Safra independente 2010 começa a gerar os primeiros frutos

 

Camiño di Rato 3. Crédito: reprodução do blog da revista

 

 

 

 

 

 

 

Capa de "Camiño di Rato", revista que terá lançamento no fim do mês em São Paulo 

 

 

 

 

 

 

 


Os primeiros sopros independentes do ano começam a ventilar as lojas de quadrinhos. Já há pelo menos três trabalhos publicados. Dois deles têm lançamentos neste mês.

A primeira sessão de autógrafos ocorre neste sábado, às 19h30, em São Paulo. O grupo da revista "Subversos" lança o sexto número da publicação, que é distribuída de graça.

O título reúne trabalhos de autores de diferentes partes do país. O diferencial desta edição é que nela predominam as mulheres. Dos 32 participantes, 27 são do sexo feminino.

A revista é produzida com verba do projeto VAI (Valorização de Iniciativas Culturais), da prefeitura paulistana. O lançamento será na HQMix Livraria (Praça Roosevelt, 142).

                                                          ***

A livraria paulistana hospedará no próximo dia 27 outra sessão de autógrafos, a da revista "Camiño di Rato", mais um projeto que agrega em suas páginas diferentes autores.

A química usada neste terceiro número produziu um composto eclético: há quadrinhos filosóficos e de humor, mistura de quadrinistas novos com outros, já conhecidos.

Participam 13 autores: Alberto Pessoa, Alexandre Grego, Beto Martins, Bira Dantas, D. Ramírez, Edgar Franco, Gazy Andraus, Gian Danton, Gonçalo Jr., Guilherme Silveira, Soter Bentes, Vinícius Posteraro e o veterano Júlio Shimamoto, autor da capa.

A revista independente custa R$ 6 e pode ser comprada por intermédio do e-mail da revista: caminhodirato@gmail.com .

                                                         ***

Outro trabalho independente que chega ao terceiro número é "Penitente". Editada por Lorde Lobo, a revista traz mais uma história do personagem-título, um vigilante morto-vivo.

Penitente costuma levar almas más para o além. Em geral, pessoas que põem outras em situação de perigo. Em troca, pede aos salvos que rezem por sua alma.

Na trama desta nova edição, o enigmático ser salva um morador de rua dos maus-tratos de um grupo de jovens, que o espancavam para uma gravação.

A revista custa R$ 4 - R$ 5 pelo correio - e também pode comprada via blog do editor (link). Apenas para registro: algumas páginas da história vieram repetidas.

Escrito por PAULO RAMOS às 00h29
[comente] [ link ]

Quadrinhos com desconto em São Paulo e Salvador no fim de semana

Duas promoções - uma em São Paulo e outra em Salvador - vão vender obras em quadrinhos com desconto neste fim de semana.

A promoção paulista ocorre neste sábado, das 10h às 22h, na loja da Devir (rua Teodureto Souto, 624, no Cambuci).

A queima de estoque prevê descontos de 30% em obras da Devir e de 50% em títulos nacionais de outras editoras. Quadrinhos importados terão equiparado o dólar ao real.

No domingo, em Salvador, a Câmara Bahiana do Livro vai vender com desconto livros de autores locais, entre eles Antônio Cedraz, criador da série Turma do Xaxado. A partir das 9h, no pátio do Teatro Castro Alves (Pça. Dois de Julho, s/n, no Campo Grande). 

                                                         ***

Post postagem (às 11h55): o colega Eduardo Nasi, a quem agradeço, me lembra de que há uma terceira promoção, esta em Belo Horizonte.

Os mineiros terão uma edição local da Fest Comix, tradicional promoção paulistana. Como é característico do evento, os quadrinhos serão vendidos com desconto mínimo de 20%.

Será neste sábado e domingo, das 11h às 19h, durante o encontro Anime Punch, realizado no Centro Universitário de Belo Horizonte (rua Libero Leone, 259, no Estoril).

Escrito por PAULO RAMOS às 11h36
[comente] [ link ]

02.02.10

Brasileiros concorreram a principal prêmio do quadrinho francês

 

Top! Top! 25. Crédito: reprodução do site do festival

 

 

 

 

 

 

Fanzine "Top! Top!", editado por Henrique Magalhães, foi um dos três trabalhos nacionais selecionados para o Festival de Angouleme 

 

 

 

 

 

 

 

 

A maratona feita neste blog para marcar o Dia do Quadrinho Nacional adiou a postagem desta pauta, atraso agora corrigido.

Três trabalhos brasileiros foram selecionados pelo Festival Internacional de Angouleme, a principal premiação de quadrinhos da França e uma das mais destacadas da Europa.

As revistas "Top! Top!" e "Garagem Hermética" e o jornal com informações do grupo independente Quarto Mundo foram indicados para a categoria de produções alternativas.

As obras nacionais disputaram com outros 40 trabalhos de todo o mundo. O vencedor foi o terceiro número da revista chinesa "Special Comics".

                                                         ***

"Top! Top!" é um fanzine produzido pelo professor universitário Henrique Magalhães, responsável pela editora Marca de Fantasia, de João Pessoa.

O que concorreu no Angouleme foi o 25º número da revista, lançado em março de 2009. A revista explorava o trabalho em quadrinhos do também professor universitário Edgar Franco.

"Garagem Hermética" é uma das revistas ligadas ao Quarto Mundo, selo que agrega autores independentes de diferentes partes do país. A revista é mantida pelo grupo Sócios Ltda.

O terceiro trabalho selecionado no Angouleme também está ligado ao Quarto Mundo. É um jornal que trazia informações sobre o grupo e que foi distribuído de graça.

                                                         ***

Os inéditos no Brasil "Pascal Brutal", "Dungeon Quest" e "Paul à Quebec" estão entre os álbuns vencedores das principais categorias da premiação francesa.

O site do festival traz uma relação dos ganhadores das 11 categorias do Angouleme. Mostra também todos os trabalhos selecionados. Para acessar, clique aqui.

Escrito por PAULO RAMOS às 17h00
[comente] [ link ]

[ ver mensagens anteriores ]