25.02.11

El Eternauta 2 pode ser lançado ainda neste ano

 

El Eternauta 2. Crédito: reprodução

 

 

 

 

 

 

 

Capa da edição argentina da história em quadrinhos, que será publicada no Brasil pelo grupo Martins Fontes 

 

 

 

 

 

 

 


O grupo Martins Fontes não descarta lançar ainda neste ano a segunda parte da série argentina "El Eternauta". Tudo vai depender da repercussão do início da série.

"Se for um sucesso, sai ainda este ano", diz o editor Evandro Martins Fontes.

As duas partes são inéditas no Brasil. A primeira estava programada inicialmente para o primeiro trimestre deste ano, como o blog adiantou em junho do ano passado. 

O lançamento foi adiado em alguns meses. "Com certeza, nós teremos para a Bienal Internacional do Livro. Mas nós vamos lançar antes." A bienal será realizada em setembro.

                                                         ***

Segundo Martins Fontes, a tradução do primeiro volume já está pronta. O trabalho foi feito a quatro mãos por Rúbia Pontes e Sérgio Molina.

A editora irá se basear na versão publicada na Espanha pela Norma Editorial. Essa versão traz a história num formato maior que os lançados na Argentina.

"El Eternauta" é tida como a principal história em quadrinhos argentina. Foi escrita por Héctor Germán Oesterheld e desenhada por Francisco Solano López.

A trama de ficção científica mostra a invasão da Terra por alienígenas. O ataque é contado por meio de um grupo de sobreviventes de Buenos Aires.

                                                         ***

A história foi lançada entre 1957 e 1959 pela Editoral Frontera, editora de Oesterheld.

Ele retomou a série na década de 1960, numa releitura da obra, com arte de Alberto Breccia. E, depois, na segunda parte, lançada no final da década de 1970.

Durante os anos 1970, Oesterheld aderiu ao movimento Juventude Peronista e foi assassinado pelos militares. Ele, as quatro filhas - duas grávidas - e os dois genros.

O escritor foi sequestrado em abril de 1977. Enquanto isso, "El Eternauta II" continuou sendo publicado normalmente nas bancas, como se ele ainda estivesse livre e vivo.

Escrito por PAULO RAMOS às 19h14
[comente] [ link ]

23.02.11

Aline é apenas a ponta do iceberg

 

Aline - Antrologia. Crédito: L&PM

 

 

 

 

 

 

 

"Antrologia", uma das duas coletâneas de Aline publicadas neste mês, dá início a outros lançamentos de Adão Iturrusgarai

 

 

 

 

 

 

 

 

Não é coincidência a editora L&PM lançar neste mês dois livros com tiras de Aline. As obras pegam carona na popularidade do seriado da personagem, produzido pela TV Globo.

A segunda temporada, em exibição, pautou um quinto livro de bolso ("Numas de Colegial", 128 págs., R$ 11) e uma coletânea em formato maior ("Antrologia", 128 págs., R$ 36).

O álbum tem o diferencial de reunir em livro as histórias mais recentes dela, inéditas em livro. "É um projeto que tenho já faz um tempo pra fechar essa ´fase Aline´", diz Adão.

"É uma satisfacao pessoal muito grande poder colocar uma pá de cal em cima disso e abrir caminho para novos projetos."

                                                          ***

A pá de cal, no entanto, não cimenta de vez a relação do autor com a personagem viciada em sexo. "Aline não morreu", diz. Adão admite voltar à série. Só que mais para a frente.

"Por enquanto, estou preferindo desenhar a série Mundo Monstro, sem personagem fixo, e adorei fazer Rocky e Hudson parodiando 'Alice no País das Maravailhas."

A paródia foi publicada nas últimas semanas no caderno de cultura da "Folha de S.Paulo", espaço que ocupa desde a década de 1990. E está nos caubóis outros voos editoriais.

Adão diz já ter acertado a publicação da série na Espanha. Teria conversas também na França. E a versão de Alice já está certa para sair neste ano na revista argentina "Fierro".

 

Rocky & Hudson. Crédito: Adão Iturrusgarai

 

O desenhista já vinha colaborando com a "Fierro" nos últimos anos. E foi por meio da publicação argentina que surgiu a oportunidade de chegar à Europa.

"O fato de eu ter publicado Rocky e Hudson na ´Fierro´ é que abriu essa porta. Publicar em espanhol tem essas vantagens. Te abre pra toda América Latina e Espanha."

Adão se mudou para a Argentina há alguns anos, depois de passar por Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro. Fez nova troca em 2010: Patagônia por Punta del Este, no Uruguai.

A mudança foi para fugir do frio. Tentativa que não deu muito certo, segundo ele. "O frio é muito intenso e o Uruguai não tem gás natural nem calefação nas casas."

                                                         ***

"Acabamos passando mais frio aqui que na Patagônia. Vamos voltar pra Argentina e vamos viver perto de Córdoba, perto de um aeroporto internacional. Quero estar mais acessível."

Os planos são de se instalar em alguma "cidadezinha" com lagos e serra. Ele, a esposa e os dois filhos pequenos. Volta ao Brasil, por ora, só via publicações. Aline é só o começo.

Além do lançamento na Espanha, ele fará cartuns para um livro da antropóloga Mirian Goldenberg e vai reunir em livro as tiras de cunho autobiográfico.

As histórias vêm sendo veiculadas na "Folha de S.Paulo" desde o ano passado. O projeto é lançar o livro ainda este ano pela editora Zarabatana.

Escrito por PAULO RAMOS às 19h33
[comente] [ link ]

21.02.11

Saga de Diomedes, de Mutarelli, será reeditada em volume único

 

O Dobro de Cinco, de Lourenço Mutarelli

 

 

 

 

 

 

 

Capa de "O Dobro de Cinco", primeiro de uma série de quatro álbuns de Lourenço Mutarelli que serão relançados neste ano pela Companhia das Letras 

 

 

 

 

 

 

 

A Companhia das Letras planeja reeditar no segundo semestre as histórias do detetive Diomedes, criadas na virada do século pelo escritor e quadrinista Lourenço Mutarelli.

A proposta da editora é reunir num volume único os quatro álbuns, "O Dobro de Cinco" (1999), "O Rei do Ponto" (2000) e as duas partes de "A Soma de Tudo" (2001-2002).

O acordo foi acertado no meio da semana passada e é noticiado em primeira mão pelo blog.

O contrato ainda não foi assinado. Mas tanto autor quanto editora confirmam a publicação.

                                                         ***

"Está combinado. O Mutarelli ligou pra cá e ofereceu o livro. E a gente vai publicar", disse hoje Thyago Nogueira, editor da Companhia das Letras responsável pelos livros do autor.

O novo título ainda não foi definido. Os originais devem passar por um novo tratamento gráfico. O conteúdo será o mesmo do lido nos álbuns da Devir, primeira a publicar a obra. 

Havia nos últimos anos uma disputa entre Mutarelli e Devir sobre os direitos da série. Segundo o autor, o problema já foi resolvido com a antiga editora.

"Está tudo certo. Foi mais um mal-entendido de minha parte do que qualquer outra coisa", disse Mutarelli, por telefone, agora há pouco.

                                                         ***

O acordo foi intermediado pela RT Features, comandada por Rodrigo Teixeira. A empresa oferece o álbum em quadrinhos e fica com os direitos de adaptação para outras mídias.

Mutarelli acha muito estranha, nas palavras dele, a situação que a reedição irá criar. No entender dele, seus leitores de quadrinhos não leem seus romances. E vice-versa.

"Tem um modismo no momento [sobre quadrinhos]. Eu acho que é algo passageiro. Eu acho que uma hora eles [os editores] vão ver que não vende tanto."

Foi o que ele chama de modismo que o trouxe de volta aos quadrinhos, arte que ele havia abandonado na metade da década passada para se dedicar à literatura e ao cinema.

                                                          ***

"Eu não voltei porque quis", diz Mutarelli, numa resposta surpreendente. "Eu voltei porque foi a melhor opção de trabalho que eu tive neste ano." 

Além da reedição das histórias do detetive Diomedes, ele prepara um álbum inédito, também pela RT Features, para ser publicado pela Companhia das Letras.

Mutarelli tem até maio para terminar "Quando Meu Pai Encontrou com o ET Fazia um Dia Quente", a história de um pai que se vê mentalmente confuso após a morte da esposa.

Ele já desenhou 50 paginas. Falta a outra metade. Se o prazo for cumprido à risca, a editora planeja publicar a obra ainda este ano, no segundo semestre. 

Escrito por PAULO RAMOS às 13h10
[comente] [ link ]

19.02.11

Bons números sobre os quadrinhos

Este encerramento de semana trouxe uma concentração de números bastante positivos para a área de quadrinhos brasileira. A eles:

- A edição encadernada de "Daytripper" aparece em primeiro lugar na lista dos mais vendidos do jornal "The New York Times". A obra figura na categoria de coletâneas. A série dos brasileiros Gabriel Bá e Fábio Moon foi publicada inicialmente em dez capítulos e reunida num volume só neste mês. Sai no Brasil no segundo semestre, pela Panini.

- Quadrinhos na Cia. soma cem mil livros vendidos, segundo o editor do selo, André Conti. Números expressivos, conquistados num período de dois anos.

- Seis meses após ser lançado, "Bando de Dois" ganhou uma segunda edição, já disponível em livrarias e lojas de quadrinhos. O álbum de Danilo Beyruth, publicado pela editora Zarabatana, vem se tornando uma unanimidade na área de quadrinhos.

- O site "Universo HQ", especializado em notícias sobre quadrinhos, completou nessa sexta-feira a recordista marca de 5 mil resenhas sobre obras ligadas à área.

Escrito por PAULO RAMOS às 13h46
[comente] [ link ]

17.02.11

Via Lettera agora diz que vai publicar quadrinhos em 2011

A Via Lettera diz que pretende publicar álbuns em quadrinhos neste ano. Segundo a editora, a programação inclui "Love & Rockets", "Castelo Adormecido" e dois livros da série "Bone".

O interesse na notícia é porque ela é diametralmente oposta à que a editora passou no mês passado ao jornalista Jota Silvestre, do blog "Papo de Quadrinho".

Sobre a sondagem a respeito de lançamentos para este ano, a Via Lettera informou que não tinha "programação de HQs para 2011".

O e-mail havia sido respondido por Roberto Gobatto, editor da Via Lettera. Silvestre tornou pública a informação, via Twitter.

                                                        ***

Na ocasião, o blog teve acesso ao e-mail de resposta, assinado por Gobatto. A mensagem havia sido enviada no dia 21 de janeiro, às 10h07, e confirmava a informação.

Este blog repercutiu o assunto em postagem do dia 24 de janeiro, intitulada "Uma História sobre Bone, por ora sem final feliz".

Roberto Gobatto entrou em contato com o blog, ontem, por e-mail, dando outra versão, a de que a Via Lettera tem, sim, lançamentos para este ano.

Pedi ao editor permissão para reproduzir na íntegra o conteúdo da mensagem. Autorização concedida, segue o e-mail.

                                                         ***

Caro Paulo Ramos,

Surpreendeu-me a matéria publica no blog dos quadrinhos no dia 24.01 deste ano. Na realidade recebi hoje a informação de que tal matéria foi ao ar.

Tanto a série Bone, Love & Rockets, Castelo Adormecido e o livro Gibi estão em nossos planos, sim.

Nossa surpresa na redação foi por a matéria ter ido ao ar sem sermos, como no passado, consultados, ouvidos e etc.

Portanto, tenho o dever de lhe informar, que é jornalista da mais alta conta, que para este ano esta programado Bone 15 para julho (mês de férias) e um segundo volume para dezembro.

Nosso vínculo comercial com a Cartoon  Books é sólido e nossas edições foram elogiadas pessoalmente por Jeff Smith, temos planos para outras séries do autor (ainda não confirmado).

A informação prestada, acredito, tenha sido com relação à Front, que não tem previsão para voltar as livrarias.

Aproveito para dizer que estamos distribuindo a edição 4 da Nanquim Descartável para todo o território nacional, release anexo.
 
Grande Abraço, Roberto Gobatto.

                                                         ***

Em e-mail enviado nesta quinta-feira à tarde, Gobatto acrescentou outros dois volumes de "Bone" para 2012: "A Rosa", para julho, e "Bone 17", para dezembro.

Sobre o "Gibi", livro no qual assino um dos artigos e mencionado no e-mail, a obra havia sido anunciada para junho do ano passado no blog da editora.

Escrito por PAULO RAMOS às 18h46
[comente] [ link ]

12.02.11

Com quadrinhos, até que a morte os separe

Os jornalistas Renato Félix e Larissa Claro se casam na noite deste sábado, às 19h30, na Igreja de São Frei Pedro Gonçalves, em João Pessoa, na Paraíba.

A data e o local haviam sido informados aos parentes e amigos há algumas semanas por meio de um convite, como manda o costume.

O convite seguia os moldes tradicionais. Capa com letras em relevo, envolvida por um laço com o nome da pessoa. Tudo conforme o ritual. Até olhar a primeira página.

As informações sobre o casamento são ladeadas por tiras, que têm os noivos como protagonistas. São 12 histórias, duas por página.

 

Tira de Renato Félix. Crédito: imagem cedida pelo autor

 

Tira de Renato Félix. Crédito: imagem cedida pelo autor

 

"As pessoas adoram", diz o noivo de 37 anos, também autor das tiras. 

"Há uma ´pegadinha´ - que, confesso, foi meio acidental - que é esse ´jeitão´ bem tradicional por fora. Quando o convidado abre é surpreendido pela primeira tiras."

O jornalista conta que a ideia partiu de Larissa. "Eu sempre fiz pra ela cartões de aniversário, aniversário de namoro, dia dos namorados. Então, ela também queria desenhos nossos no cartão. Acho até que sugeriu que fosse uma historinha."

"Um dia, me ocorreu que poderiam ser tiras e aí ela foi meio que uma editora: sugeriu mudanças nos diálogos, cortou uma tira que não achou muito boa, mexeu na ordem delas no convite. E, principalmente, cobrou prazos."

 

Tira de Renato Félix. Crédito: imagem cedida pelo autor

 

Tira de Renato Félx. Crédito: imagem cedida pelo autor

 

As tiras abordam temas vividos pelo casal de jornalistas - ambos trabalham no "Correio da Paraíba": ele é editor de cultura, ela é repórter do caderno de cidades.

Segundo Félix, o "nível de realidade" das tiras, como ele mesmo diz, varia muito. Mas procurou exagerar as situações para tornar a cena mais cômica.

O princípio vale também para a coleção de quadrinhos dele, que passa de mil exemplares. Problema comum a colecionadores, teve de arrumar espaço no novo apartamento. E, claro, discutir o assunto com a futura esposa.

"Ela sofre um pouco com a quantidade de quadrinhos que tenho. O problema é puramente o espaço - não o hábito de ler quadrinhos, o que ela respeita e compartilha - não em tudo, mas pelo menos em uns 'Peanuts', 'Mafalda', 'Mônica' e até 'Estranhos no Paraíso'."

 

Tira de Renato Félix. Crédito: imagem cedida pelo autor

 

Tira de Renato Félix. Crédito: imagem cedida pelo autor

 

O modo criativo de mexer com o ritual que envolve o casamento não se restringiu ao convite. Os dois criaram um blog, "Prometo", que conta em detalhes o entorno da cerimônia.

Na página, eles contam, por exemplo, como se conheceram. Contato, aliás, iniciada pelo meio virtual. Félix mantinha uma comunidade no Orkut chamada "Jornalista Só Anda Junto".

Larissa fazia parte. Um dia, em 2006, reconheceu o futuro noivo num ônibus. Não falou nada. Limitou-se a deixar um recado na página de relacionamentos.

"Eu só vi meses depois, mas respondi e aí começou um diálogo e uma paquera diária pelos recados do Orkut, que desembocou em uma ida ao cinema e no namoro." E no casamento.

Escrito por PAULO RAMOS às 11h32
[comente] [ link ]

08.02.11

Brasil terá congresso internacional de quadrinhos

O Brasil irá sediar um congresso internacional de histórias em quadrinhos. O encontro científico será realizado entre 23 e 26 de agosto deste ano na Universidade de São Paulo.

Intitulado Jornadas Internacionais de Histórias em Quadrinhos, tem o objetivo de reunir estudos feitos em diferentes partes do país e do exterior. A iniciativa é inédita no Brasil.

A chamada de trabalhos - nome dado às regras para participação em eventos assim - foi divulgada neste início de semana no blog do congresso.

Tanto pesquisadores da área quanto interessados em geral poderão participar, com ou sem apresentação de trabalhos.

                                                         ***

Os trabalhos inscritos serão avaliados e selecionados por um comite científico, formado por 21 doutores de universidades brasileiras e estrangeiras.

As inscrições começam no mês que vem num site que será criado especificamente para isso. A organização é do Observatório de Histórias em Quadrinhos da USP.

As taxas para participar são: alunos de graduação (R$ 50), estudantes de pós-graduação (R$ 100), demais interessados (R$ 150). Os valores valem até 31 de março.

Após essa data, o preço aumenta R$ 25. As regras para participação no congresso estão disponíveis no blog do evento: http://jornadasinternacionais.wordpress.com/.

Escrito por PAULO RAMOS às 11h43
[comente] [ link ]

07.02.11

Panini confirma publicação de Daytripper no Brasil

 

Daytripper. Crédito: Vertigo/DC Comics

 

 

 

 

 

 

 

Série de Gabriel Bá e Fábio Moon deve sair neste ano e havia sido publicada originalmente nos Estados Unidos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Já se sabia por outra fonte, de bastidor. Agora, veio a confirmação oficial: a editora Panini vai publicar "Daytripper", dos brasileiros Gabriel Bá e Fábio Moon.

Inédita no país, a série foi lançada nos Estados Unidos em dez capítulos entre o fim de 2009 e o ano passado. Neste mês, ganhou uma edição encadernada, de 256 páginas.

A história saiu pela Vertigo, selo adulto da editora DC Comics, a mesma de Batman e Super-Homem. No Brasil, a Panini publica os títulos do selo com exclusividade.

A editora planeja lançar a obra neste ano. Falta apenas definir os detalhes da edição, processo que vem sendo discutido com a dupla de autores.

                                                         ***

"Os dois estão diretamente envolvidos com todas as etapas da produção", diz Fabiano Denardin, editor sênior dos títulos da Vertigo no Brasil.

"É uma experiência diferente pra mim, já que geralmente não temos esse tipo de contato com os autores. Acredito que o envolvimento deles será bem positivo para a publicação."

"Daytripper" conta a história de um homem chamado Brás de Oliva Domingos, que faz obituários num jornal de São Paulo, trabalho que não aprecia.

Ele nutre o sonho de ser escritor, carreira seguida pelo pai, com sucesso. Em entrevista em outubro de 2009, Gabriel Bá disse que foi o melhor trabalho que ele e o irmão fizeram.

Escrito por PAULO RAMOS às 10h11
[comente] [ link ]

01.02.11

Joe Sacco virá ao Brasil para participar da Flip

 

Notas sobre Gaza. Crédito: reprodução

 

 

 

 

 

 

 

Autor é conhecido por fazer reportagens em quadrinhos, como "Notas sobre Gaza", lançada no Brasil no ano passado 

 

 

 

 

 

 


O jornalista e quadrinista maltês Joe Sacco virá ao Brasil para participar da edição deste ano da Flip (Festa Literária Internacional de Paraty), que será realizada em julho.

A informação foi confirmada pelo autor e é noticiada em primeira mão pelo blog.

Sacco é conhecido por fazer reportagens em quadrinhos. A maior parte foi publicada pela Conrad. O último trabalho, "Notas sobre Gaza", saiu pela Companhia das Letras em 2010.

"Notas sobre Gaza" também foi premiado nesse fim de semana no Festival Internacional de Histórias em Quadrinhos de Angoulême, na França, na categoria "olhar sobre o mundo".

                                                         ***

A Flip vem flertando com autores de quadrinhos há alguns anos. Já trouxe Neil Gaiman, criador da série norte-americana Sandman.

Há dois anos, promoveu uma mesa sobre quadrinhos e literatura com os brasileiros Gabriel Bá, Fábio Moon, Rafael Grampá e Rafael Coutinho.

Na edição passada, em 2010, trouxe Robert Crumb, principal expoente dos quadrinhos underground norte-americanos. A vinda dele foi bastante noticiada pela grande imprensa.

A Flip deste ano irá ocorrer entre 6 e 10 de julho na cidade histórica fluminense.

                                                          ***

Acompanhe o noticiário também no Twitter: http://twitter.com/blogpauloramos

Escrito por PAULO RAMOS às 17h36
[comente] [ link ]

[ ver mensagens anteriores ]