30.10.11

A Glauco, com carinho

 

  • "Geraldão - Espocando a Cilibina!" faz antologia de personagens de Glauco
  • Livro reúne histórias dos dez primeiros números da revista "Geraldão"
  • Tom da obra é de homenagem ao desenhista, morto em março de 2010

 

Geraldão 1. Crédito: reprodução  Geraldão - Espocando a Cilibina! Crédito: editora Almedina

 

O editor de "Geraldão - Espocando a Cilibina" (Almedina, 304 págs., R$ 77) registra na introdução do livro que havia discutido a ideia da obra com Glauco ainda em vida.

Segundo ele, a conversa ocorreu em meio aos cultos da Céu de Maria, grupo religioso liderado pelo desenhista e mantido no Pico do Jaraguá, em São Paulo.

"Também foi lá, no Pico do Jaraguá, onde conversamos longamente por diversas vezes e em momentos diferentes, que falamos sobre a publicação de uma antologia das dez primeiras edições da revista do Geraldão", diz Mendes.

"Este livro resgata e concretiza essa intenção e foi levando em consideração aquelas boas conversas." A obra foi feita em capa dura e tem tiragem de 5 mil exemplares.

                                                        ***

Apesar de idealizado em vida, o tom do livro é de homenagem ao desenhista, assassinado com o filho, Raoni, em 12 de março de 2010 em Osasco, cidade vizinha a São Paulo.

O próprio texto de Toninho Mendes relembra momentos vividos entre eles. Mendes foi responsável pela edição da maior parte dos livros em quadrinhos de Glauco.

Foi ele também que esteve à frente da extinta Circo Editorial, que publicou no fim da década de 1980 a revista "Geraldão", que tem agora os dez primeiros números re-editados.

O livro traz ainda histórias de Glauco feitas para outras duas revistas da Circo: "Chiclete com Banana", de Angeli, a mais popular, e "Circo", todas assinaladas ao leitor.

                                                         ***

Para quem não conhece a fundo a obra de Glauco Villas Boas, a obra é um detalhado cartão de visitas. Estão lá os principais personagens dele, a começar por Geraldão.

O solteirão, com complexo de Édipo pela mãe, é o que tem maior destaque. Natural, posto que é o personagem-título.

Mas, ao contrário das tiras e de seu formato limitado, aqui o Geraldão vive narrativas maiores, com mais páginas. Na primeira, tenta transar com a mãe e vai preso.

Na segunda, é julgado - com a mãe e um grupo das "Senhoras de Santana" no banco dos réus. Na seguinte, re-encontra o pai - que havia saído há 20 anos para comprar Coca-Cola.

                                                         ***

Lidas em sequência, ajudam a criar uma imagem clara imagem do personagem. Dele e das outras criações de Glauco apresentadas na obra, como Casal Neuras e Dona Marta.

As histórias da revista - reunidas agora em livro - eram mescladas com cartuns e charges, que dialogavam diretamente com temas da época, acertadamente mantidos na antologia.

Pode-se ver, com humor, o preconceito que havia em torno da Aids e as discussões em torno do aumento do mandato do então presidente José Sarney.

Mais do que uma coletânea ou uma homenagem póstuma, o livro compõe um registro histórico sobre a produção de Glauco e que compuseram a história dos quadrinhos no país.

Escrito por PAULO RAMOS às 13h43
[comente] [ link ]

27.10.11

Nem só de pockets vive uma L&PM

 

  • Famosa pela coleção de pockets, L&PM diversifica catálogo de quadrinhos
  • Editora gaúcha programa para este fim de ano adaptações literárias e mangá
  • Relação de lançamentos inclui também dois livros ligados à série Peanuts

 

Robinson Crusoé. Crédito: editora L&PM

 

No princípio, lá pelos idos dos anos 1970 e 80, eram os álbuns. Depois, vieram os pockets. E como vieram: salvaram a saúde financeira da L&PM. E, agora, voltam os álbuns.

A editora gaúcha acentua neste fim de ano a política de diversificar o catálogo de quadrinhos, com olhares para além das coletâneas de tiras e do formato de bolso.

Para os dois meses finais deste 2011, programa seu primeiro mangá, dois volumes ligados a Peanuts e envereda pelo disputado mercado das adaptações literárias.

Segundo a editora informou a livrarias, a coleção "Clássicos da Literatura em Quadrinhos" estreia nesta virada de mês com "Robinson Crusoé", do inglês Daniel Defoe (1660-1731).

                                                          ***

Embora a capa não registre, o álbum de 60 páginas foi adaptado pelos franceses Christophe Lemoine (texto) e Jean-Cristophe Vergne (arte).

O que a capa registra, isto sim, é o apoio dado pela Unesco à coleção,  órgão das Nações Unidas que cuida de temas ligados à educação. No fim, há resumo sobre autor e obra.

No site da L&PM, a editora reforça que o álbum tem caráter pedagógico e que como um dos públicos-alvo os estudantes.

Outras editoras brasileiras têm investido no setor de adaptações nos últimos quatro anos por conta das expressivas compras de obras do gênero por listas governamentais.

                                                          ***

O segundo volume é "Ilha do Tesouro", de Robert Louis Stevenson (1850-1894), seguido de "A Volta ao Mundo em 80 Dias" e "Um Conto de Natal", todos também neste fim de ano.

Para 2012, a coleção prevê mais seis volumes: "Odisseia", "Dom Quixote", "Viagem ao Centro da Terra", "Guerra e Paz", "Os miseráveis" e "As Mil e Uma Noites". 

A lista de lançamentos para novembro e dezembro inclui também dois livros especiais ligados à série "Snoopy": "A Vida segundo Peanuts" e "O Natal de Charlie Brown".

A diversificação da L&PM prevê ainda a inauguração da coleção "L&PM Pocket Mangá". O primeiro quadrinho japonês da editora será "Aventuras de Menino", de Mitsuru Adachi.

Escrito por PAULO RAMOS às 18h58
[comente] [ link ]

[ ver mensagens anteriores ]